Domingo, 22 de Julho de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< CULTURA Som na Área privilegiará o Choro aos domingos

Publicada em 27/03/2018 às 17:46
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
O projeto “Som na Área”, do Sesc Sorocaba, traz em abril diversos grupos homenageando um estilo musical genuinamente brasileiro, o Choro. Aos domingos, às 17 horas, na Área de Convivência da Unidade, no Jardim Faculdade, músicos prestarão tributo aos mais renomados artistas que contribuíram para o gênero musical desde sua criação. Em apresentações sempre gratuitas.
 
O grupo Chorocabanos abre a série, logo neste Domingo de Páscoa, 1º de abril. Fundado em 2001, o grupo formado por Gilmar de Campos (clarinete), Renato Antônio da Silva (flauta), Joaquim Rodrigues (violão seis cordas), Giovanni Costa de Camargo (cavaquinho) e Daniel Dias de Lima (pandeiro e percussão) surgiu sem a preocupação de trabalhos profissionais, como uma reunião de amigos para estudar o `Choro´, gênero escolhido pela dificuldade de execução de suas composições, além de suas harmonias. 
 
Ao longo dos anos o Chorocabanos tem levado genuína música popular brasileira a clubes, teatros, praças públicas e auditórios, interpretando composições dos mais renomados artistas que contribuíram para com esse estilo musical. 
 
A AGENDA – Choroeletro será a atração do domingo 8. O grupo foi formado há um ano em Araraquara, com o intuito de aprofundar a pesquisa, execução e difusão cultural do choro, unindo tradicionalismo e modernidade. Buscando uma dinâmica inovadora e diferenciada, conta com a junção do instrumento contemporâneo (guitarra elétrica) com os instrumentos que compõem tradicionalmente o choro (pandeiro, cavaco e violão sete cordas), agregando, assim, uma sonoridade peculiar ao gênero musical. Seu vasto repertório traz Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazaré, Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Luciana Rabelo, Nemias Santana e Cleber Rangel.
 
“Jorge Nascimento e Seu Lourenço no Vinho: Show Pixinguinha por nós” será apresentado no dia 15. O grupo, liderado pelo saxofonista Jorge Nascimento, é uma parceria recente entre este e músicos parceiros da cidade de Ribeirão Preto. Com a proposta de interpretar as composições de Pixinguinha mesclando instrumentos em uma formação pouco convencional, como bandolim e contrabaixo, no show evidencia-se um repertório genuinamente brasileiro, com sambas, choros, maxixes e maracatus, indo do clássico ao contemporâneo e privilegiando, em sua essência, as obras do genial compositor.
 
Dia 22 tem “100 anos sem Jacob”, trazendo memória de que em 2018 é comemorado o centenário de nascimento de um dos mais importantes compositores e instrumentistas de choro da história, Jacob Pick Bittencourt, mais conhecido com Jacob do Bandolim. Neste show, Micael Chaves (violão sete cordas) e André Ribeiro (bandolim) prestam homenagem ao compositor com uma apresentação dinâmica e envolvente. Além da apresentação de obras consagradas suas, como “Doce de Coco”, “Noites Cariocas” e “Vibrações”, o duo traz em seu repertório músicas que foram compostas para Jacob, como “Inesquecível”, de Paulinho da Viola, e “Desvairada”, de Garoto, além de curiosas histórias do mestre.
 
A série termina com “Som & Saudades” no dia 29, com a proposta de contar a história da música através dos tempos, com o grupo de São Roque, que possui uma afinada formação de violão, bandolim contrabaixo, clarinete, sax, pandeiro e cajón. O repertório contará com composições de Jacob do Bandolim, Valdir Azevedo, Dilermando Reis, Noel Rosa, Cartola e outros grandes nomes da música brasileira. Com quinze anos de carreira, o show do grupo reflete a vivência dos palcos e da boemia, mesclando com equilíbrio canções que todos conhecem. 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar