Domingo, 22 de Abril de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA Escolas de samba desfilam na terça no Alto da Boa Vista Passagem pela avenida terá índios de Guarulhos, mulheres guerreiras e deuses do Egito

Publicada em 09/02/2018 às 18:37
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Arquivo/Germano Schonfelder)
Cinco escolas de samba de Sorocaba resistiram à falta de dinheiro e conseguirão desfilar na `passarela do samba´ montada pela Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura, no Alto da Boa Vista, no trecho da avenida Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes defronte ao Paço Municipal, na terça-feira gorda de Carnaval (13), a partir das 19 horas. A Furiosa Real, a Gaviões da Fiel, a Mocidade Independente e a Unidos do Cativeiro serão as quatro participantes do total de 10 agremiações que estiveram na avenida em 2017. A histórica Escola de Samba “III Centenário”, com reduto no Jardim América, é a quinta desfilante, retornando ao Carnaval de Rua sorocabano depois de um hiato de 24 anos.
 
Em meio às adequações à proposta de Carnaval deste ano, as cinco escolas preparam-se para oferecer o melhor aos sorocabanos.
 
GAVIÕES DA FIEL – Para a agremiação de torcedores corinthianos, é a vez de cantar na avenida, no Carnaval´2018, os índios que habitaram a atual cidade de Guarulhos, na Grande São Paulo, com o tema “Guarus – Na aurora da criação, a profecia tupi... Prosperidade e paz para os mensageiros de Rudá”. Segundo o carnavalesco Luis Nobre, mais conhecido como `Luisão´, Guarulhos é o município com mais afiliados em uma subsede da Gaviões da Fiel. “Decidimos homenagear os índios Guarus porque foi de onde surgiu o nome da cidade”, conta `Luisão´.
 
Após um 2016 sem festa, a Gaviões levou o tema renascimento para o Carnaval do ano seguinte. O apoio da sede de São Paulo garantiu-lhes fantasias que pudessem homenagear a maior metrópole do País.
 
MOCIDADE INDEPENDENTE – “Venho de lá, venho do Egito” é o tema da “Mocidade Independente”, que terá deuses, faraós e imperadores em seus carros alegóricos. “A gente vai trazer tudo que a civilização antiga contribuiu para o mundo e temos até hoje”, explica o presidente Marcelo Mello.
 
As alas estarão recheadas de referências à plantação, conservação de alimentos, arquitetura, astrologia, medicina e vaidade. “São coisas que datam de 4.500 anos antes de Cristo”, anima-se Mello.
 
Com o primeiro desfile no ano passado e um elo da co-irmã Mocidade Independente de Itu, a escola sorocabana era novata em 2017, mas conseguiu homenagear o humorista ituano Simplício em seu desfile de então.
 
UNIDOS DO CATIVEIRO – Com o enredo “De Maria Quitéria a Kal Manequins, mulheres guerreiras”, já a agremiação da Vila Carvalho decidiu enfocar em seu Carnaval 2018 um tema que está em alta. “Através dessas duas Marias (o nome de Kal Manequins é Maria Claudete), nós também estamos homenageando todas as outras”, explica o diretor de harmonia Israel Santos, que cita ainda Maria da Penha, Maria Bonita e Maria, Mãe de Jesus, como inspirações.
 
O bicho-papão e os monstros da infância foram o tema do desfile da “Unidos do Cativeiro” em 2017. Com doações e reutilização de material, a Escola conseguiu conquistar o público ao apresentar um trabalho derivado de pesquisa intensa.
 
TERCEIRO CENTENÁRIO – Engana-se quem pensou que a volta da histórica “III Centenário” seria sinônimo da volta aos desfiles da época em que a Escola era a campeã por diversos anos do Carnaval sorocabano nas décadas de 60, 70, 80 e até dos anos de 1990, seguindo os passos do fundador, `mestre´ Lazinho. Após mais de duas décadas sem participar do Carnaval de Sorocaba, a agremiação decidiu voltar em 2018 com a expectativa de uma grande festa, mas precisou optar por uma adaptação ao que poderia ser feito. “Estamos voltando e vamos participar, mas em um novo esquema. Na terça-feira, vamos abrir o desfile com a bateria e participar do cortejo”, explica o vice-presidente da III, Claudinei Moreira. “A intenção era voltar como Escola, mas não queríamos fazer uma coisa só por fazer”.
 
A III Centenário pretendia, aliás, fazer uma grande folia neste ano, mas a falta de verba levou à mudança de planos. “A gente é bem crítico. Melhor esperar e preparar para 2019”, conclui Moreira, que espera voltar à avenida com, pelo menos, 250 pessoas no Carnaval do ano que vem.
 
FURIOSA REAL – A agremiação da Vila Hortência foi procurada pelo DIÁRIO para compartilhar os preparativos do Carnaval deste ano, mas não ofereceu retorno até o fechamento desta edição. Em 2017, a Furiosa despertou os sonhos de criança com seu enredo. Com empenho no desenvolvimento de um trabalho social, a Escola teve colaboração de jovens nos preparativos estruturais e de mulheres amparadas pela Lei Maria da Penha nas fantasias o ano passado.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar