Quinta-Feira, 26 de Abril de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< POLÍCIA Botão do Pânico é lançado na cidade

Publicada em 08/02/2018 às 18:38
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Toda mulher que procurar a Justiça e obtiver uma medida protetiva poderá contar com um instrumento que deverá ajuda-la a denunciar e evitar que volte a ser vítima de seus agressores. Nesta quinta-feira (8), foi lançado o aplicativo Botão do Pânico, durante solenidade no Teatro Municipal. 
 
O prefeito José Crespo (DEM) disse que a implantação do aplicativo faz parte de uma das ações de políticas públicas voltadas à mulher, que contou com a colaboração de sua vice, Jaqueline Coutinho. “Infelizmente, ainda temos muitos casos de violência doméstica, e esse aplicativo, tenho certeza de que ajudará a coibir esse tipo de crime.” 
 
Crespo também não poupou elogios ao trabalho da equipe que participou do desenvolvimento no projeto, ligada à Secretaria de Planejamento e Projetos (Seplan). Durante seu discurso, o chefe do Executivo sorocabano fez questão de apresentar todos, nominalmente, como uma homenagem aos demais servidores. Foram, de acordo com o prefeito, 2280 horas de trabalho até que o aplicativo fosse desenvolvido. “Estamos atendendo aos princípios não apenas da transparência, mas da economicidade. São valorosos servidores. Significa também a elevação do nosso amor próprio”, ressaltou o prefeito.
 
A vice-prefeita Jaqueline Coutinho também lembrou que o lançamento do aplicativo é mais um compromisso firmado em campanha que passa a se tornar realidade e colocado à disposição de mulheres que estão em situação de vulnerabilidade diante da iminência de novamente serem vítimas de seus agressores. “O que esperamos é que esse aplicativo sirva de condão pedagógico, onde a vítima tenha mais um mecanismo de proteção e o autor da agressão, por sua vez, saiba que se reincidir estará em vias de sofrer uma prisão. A partir de agora esse indivíduo (eventual agressor) vai ver que a medida protetiva não será uma letra morta”, disse.
 
Jaqueline Coutinho destacou ainda que o projeto para a implantação do aplicativo foi desenvolvido sem custo externo, sendo a Prefeitura de Sorocaba a primeira a desenvolver o aplicativo internamente. “É importante que todos estejamos juntos nessa rede de proteção”, afirmou. O secretário de Planejamento e Projetos (Seplan), Luiz Alberto Fioravante, apresentou o aplicativo e suas funcionalidades a todas as autoridades presentes e à imprensa. O Botão do Pânico está disponível tanto para o sistema Android, quanto para o IOS. Explicou que o aplicativo envia um sinal para a central de monitoramento a cada 10 minutos sobre a localização da mulher beneficiada com o dispositivo. E, a cada uma hora, um sinal com informações mais detalhadas sobre o celular cadastrado. “Sem dúvida, Sorocaba está na vanguarda com a apresentação desse sistema de tecnologia criado pelos servidores da própria administração”, disse.
 
O juiz titular da Vara da Violência Doméstica, Hugo Leandro Maranzano, que na ocasião representou o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), Manoel de Queiroz Pereira Calças, elogiou o aplicativo e foi além: “É inegável que o Botão do Pânico pode inibir um mal maior. Eu acho que o aspecto mais importante é que ele é mais uma ferramenta para dar efetividade à Lei Maria da Penha.”
 
Já o secretário de Segurança e Defesa Civil (Sesdec), Fernando Dini, destacou que a Guarda Civil Municipal (GCM) está capacitada e treinada para operacionalizar dentro de sua atuação o aplicativo do Botão do Pânico. “Esse governo deu mais um importante passo. Temos a certeza de que estamos no caminho certo”, afirmou o secretário.
 
Como funciona
 
Após a mulher, vítima de violência, formalizar a denúncia contra o agressor e obter, na Justiça, uma medida protetiva, ela poderá se cadastrar e ter acesso ao aplicativo. Caso o agressor descumpra a decisão, seja por se aproximar ou até agredir a vítima, física, verbal ou psicologicamente, a mesma poderá apertar o botão, na tela do celular, e um aviso será enviado ao Centro de Operações e Inteligência (COI), da Guarda Civil Municipal (GCM). Assim que o botão é apertado, o aplicativo também registra a localização da vítima, via GPS. Além de informações da vítima, o aplicativo também terá para a GCM, informações do agressor.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar