Quarta-Feira, 21 de Fevereiro de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SAÚDE Município analisa caso suspeito de febre amarela A força-tarefa de limpeza em áreas públicas segue nesta semana na zona norte da cidade

Publicada em 23/01/2018 às 22:49
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
Um caso suspeito de febre amarela no bairro Mineirão, zona norte, que teria sido importado do Estado do Paraná, está sendo investigado pela Secretaria Municipal de Saúde. Trata-se de um homem de 30 anos, que, segundo a pasta, encontra-se em bom estado de saúde. Até o momento, Sorocaba não tem caso confirmado da doença. 
 
A suspeita foi notificada no dia 18 de janeiro. Desde essa data, agentes de saúde estão promovendo nebulização e bloqueio por meio de visitas casa a casa para remover e tratar os criadouros do mosquito Aedes Aegypti na área em que mora o suspeito da doença. O resultado do laudo sairá em aproximadamente dez dias da data de notificação. Por conta do quadro epidemiológico do Estado de São Paulo, pode haver a prorrogação da emissão do resultado do exame encaminhado ao Instituto Adolfo Lutz.
 
AÇÃO - A força-tarefa de limpeza em áreas públicas pela Secretaria de Conservação, Obras e Serviços Públicos segue nesta semana na zona norte da cidade. Nesta quarta-feira (24), é a vez do Jardim Nova Esperança. As equipes de limpeza já visitaram três bairros na zona leste e um na zona norte retirando das ruas 150 m³ de entulhos, o que equivale a 15 caminhões carregados.
 
A limpeza é feita por varredores e coletores que operam também com máquinas retroescavadeira e basculante, ficando em média dois dias em determinados bairros ou regiões, com o objetivo de eliminar possíveis criadouros para o mosquito Aedes Aegypti, o mosquito transmissor de várias doenças, inclusive da febre amarela. A ação faz parte da estratégia de bloqueio às doenças, em especial a febre amarela, por orientação da Secretaria Municipal de Saúde.
 
O setor de Zoonoses determinou as áreas que devem receber a limpeza prioritariamente, por estarem próximos à mata nativa, transformando-se em corredores ecológicos para o vírus. O objetivo é fazer recolhimento de entulhos, inservíveis e qualquer outro descarte irregular das áreas públicas. A pasta pede a colaboração da população para que não jogue lixo nas ruas e que, principalmente, elimine, de sua residência, criadouros do mosquito.
 
A ação começou na sexta-feira (19), com a limpeza dos bairros Sabiá, Zacarias e João Romão. Nesta segunda (22) e terça-feiras (23), o bairro Ana Paula Eleutério recebeu as equipes da limpeza. Outros bairros receberão a força-tarefa de limpeza para eliminar os possíveis criadouros de mosquitos. Os locais serão definidos pelas equipes de limpeza com orientação da Zoonoses, para ser divulgados.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar