Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< REGIÃO Morte de macacos bugios fecha Parque do Matão temporariamente

Publicada em 04/01/2018 às 17:58
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
Na vizinha cidade de Votorantim, a Prefeitura local se viu obrigada a ordenar o fechamento temporário do Parque do Matão. A medida foi adotada depois que três macacos bugios foram encontrados mortos no local. Os animais já foram enviados para análise do Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. De acordo com o Departamento de Vigilância em Saúde do Município, o resultado deve sair em dez dias.  A partir de então, será reavaliada a abertura do Parque, como informou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente.
 
De sua parte, a Prefeitura esclarece ainda que a cidade não registra caso de febre amarela e a vacinação até o momento segue a rotina normal para as pessoas que viajam para as áreas consideradas de risco, com doses administradas às sextas-feiras pela manhã, na UBS do Parque Bela Vista. Se a causa da morte de um dos animais for por febre amarela, haverá vacinação e os critérios serão discutidos juntamente com a Secretaria de Saúde do Estado e o Ministério da Saúde, seguindo os protocolos oficiais, ressaltando, porém, que prossegue com as ações habituais de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da febre amarela em humanos, assim como dengue, zika e chikungunya.
 
NEBULIZAÇÃO – Por outro lado, a Secretaria da Saúde da Prefeitura de Votorantim, por meio do Centro de Controle de Zoonoses, iniciou na manhã desta quinta-feira (4) ação de nebulização no Parque do Matão e nas residências do entorno, no Parque Bela Vista. A medida também é preventiva para combater o mosquito Aedes aegypti e segundo o Departamento de Vigilância em Saúde, mesmo se o resultado das análises do `Adolfo Lutz´ quanto à morte dos macacos bugios deve sair em dez dias, por precaução as ações de vigilância e de controle de zoonoses já estão sendo adotadas em todo o Parque e arredores, “para se evitar situações de perigo à população, independentemente dos resultados laboratoriais”. 
 
Para a coordenadora do Centro de Controle de Zoonoses, Kátia Regina Oliveira, é fundamental que toda a população auxilie na busca de criadouros de insetos (os mesmos da dengue), evitando-se o acúmulo de água parada, particularmente neste período de chuvas, e que procure os serviços de saúde caso apresente algum sintoma clínico de febre, dores articulares, dores abdominais, icterícia, mal estar, vômitos ou suspeitas da doença. “A nebulização é uma ação preventiva que estamos adotando, independente dos resultados da causa da morte dos macacos”, ressalta. 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar