Segunda-Feira, 10 de Dezembro de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA Autuação pelo uso de celular e cinto de segurança tem queda acentuada Segundo a Urbes, resultado já é consequência do trabalho de vídeo-monitoramento

Publicada em 29/12/2017 às 19:04
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
TRÂNSITO
 
Desde o início da fiscalização através das 67 câmeras de vídeo-monitoramento no dia 11 de dezembro, a Urbes – Trânsito e Transportes, como informou a Prefeitura na tarde desta sexta-feira (29), registrou uma queda acentuada no número de autuações em duas infrações. De 11 a 27 de dezembro de 2016, foram aplicadas 245 multas pelo uso do celular; já neste ano, no mesmo período, foram 72 autuações, uma redução de cerca de 70%. Outra infração que teve redução expressiva foi quanto ao uso do cinto de segurança. Em 2016, nos mesmos 17 dias, foram 547 multas aplicadas; já neste ano, após o início da fiscalização por câmeras, as autuações reduziram em torno de 60% (214 autuações).
 
Outro dado importante é com relação a acidentes, como destacou a Secretaria de Comunicação e Eventos da Prefeitura. De acordo com dados do Setor de Estatística da Urbes, de 11 a 27 de dezembro de 2016 Sorocaba teve duas mortes no trânsito; já em 2017, no mesmo período, não houve vítima fatal. “Não temos dúvidas de que estamos no caminho certo. Como prevíamos, as autuações estão diminuindo porque os motoristas estão deixando de cometer infrações previstas no Código de Trânsito Brasileiro. Com isso, estamos reduzindo também o número de acidentes e, principalmente, as mortes no trânsito, que são inaceitáveis”, afirma o presidente da Urbes, Luiz Carlos Franchim.
 
O VÍDEO-MONITORAMENTO - As 67 câmeras de vídeo-monitoramento instaladas nas principais vias de Sorocaba auxiliam na fiscalização do trânsito 24 horas por dia, ampliando a observação do agente de trânsito em mais locais, ao mesmo tempo. As câmeras conseguem flagrar irregularidades, como veículo parado sobre a faixa de pedestre, estacionamento em local proibido, deixar de dar preferência ao pedestre na travessia, conversão em local proibido, fila dupla, uso do celular, falta de cinto de segurança e motociclistas trafegando sem capacete, entre outras.
 
As infrações, esclarece a Urbes, são lavradas somente quando são detectadas ao vivo no ato do cometimento pelas câmeras do Centro de Controle Operacional (CCO) de Trânsito. Ou seja, nenhum condutor é autuado com imagens gravadas e arquivadas. A fiscalização por meio de câmeras está permitida desde 2015, por meio da resolução 532 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito). Os locais onde existe a fiscalização por vídeo-monitoramento estão devidamente sinalizados com placas, alertando o condutor para que redobre a sua atenção ao trafegar por tais trechos.
 
O prefeito José Crespo (DEM) tem, porém, até 10 de janeiro para deliberar se sanciona ou não lei aprovada pelo Legislativo sorocabano, a partir de projeto de autoria do vereador José Francisco Martinez (PSDB), proibindo as multas de trânsito no Município aplicadas por meio do sistema de vídeo-monitoramento da Urbes.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar