Segunda-Feira, 18 de Junho de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< ECONOMIA Produtos da Ceia de Natal têm diferença de até 104% Procon-SP recomenda leitura de folhetos publicitários e atenção ao passar itens no caixa

Publicada em 19/12/2017 às 00:52
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
Uma pesquisa realizada por equipe do Núcleo Regional de Sorocaba da Fundação Procon-SP identificou variação de até 104% no preço de produtos que compõem a ceia de Natal na cidade. A diferença máxima foi registrada no valor da farofa pronta com pedaços de cebola de 200 gramas, da marca Yoki, cujo maior preço era R$ 6,99 e o menor, R$ 3,41. 
 
O panetone de frutas de 500 gramas da Bauducco teve variação de 6,25%, com preço médio de R$ 16,86 e melhor valor no Santo Supermercados, na Zona Leste. Já o quilo do peru temperado da Sadia tinha preço idêntico de R$ 16,48 em todos os pontos pesquisados. 
 
Na comparação de 123 itens de diferentes marcas, o Tauste Supermercados, localizado no Parque Campolim, Zona Sul, apresentou mais produtos com menor preço no período da coleta de dados pela Fundação Procon-SP (de 1º a 4 de dezembro). Outros sete estabelecimentos fazem parte da pesquisa, mas só fizeram parte da comparação os itens comercializados em no mínimo três dos lugares visitados, atentam os pesquisadores do Procon-SP. 
 
O objetivo da pesquisa, segundo a instituição, é esclarecer o público, oferecendo uma referência ao consumidor através dos preços médios obtidos dentro da amostra pesquisada. Os dados completos podem ser acessados em www.procon.sp.gov.br/pdf/ CeiadeNatal.pdf.
 
ATENÇÃO – O Procon-SP detectou diferença de até 248,75% na pesquisa de ceia de Natal no Estado de São Paulo. Tal diferença tão significativa foi registrada em cogumelos fatiados na cidade de Ribeirão Preto, mas as variações também estão altas com panetones em Campinas (68,24%) e frutas cristalizadas e uvas passas na Capital (110,11%). 
 
Os especialistas do Procon -SP recomendam que o consumidor faça um planejamento do cardápio, listando alimentos, bebidas e ingredientes para o preparo. Na hora da compra, a instituição lembra a importância de ler as embalagens e rótulos dos produtos. “As promoções divulgadas pelos estabelecimentos comerciais devem ser cumpridas, por isso é aconselhável guardar os folhetos e anúncios publicitários que comprovem as ofertas”, destaca o órgão. Ao passar os produtos pelo caixa, é indicado observar os valores registrados; havendo diferença entre o preço cobrado e o que estava informado na gôndola, prevalece o menor. 
 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar