Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA Câmara propõe Frente Parlamentar para discutir problemas dos pacientes renais

Publicada em 06/11/2017 às 19:09
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
A comissão especial formada para tratar dos problemas enfrentados pelos pacientes renais de Sorocaba se reuniu na manhã desta segunda-feira (6) com deputados da região para cobrar soluções. Por iniciativa do presidente da Câmara, Rodrigo Manga (DEM), a comissão de vereadores e profissionais da saúde foi formada ao final de audiência pública realizada no Plenário do Legislativo em 26 de setembro sobre a prevenção e o tratamento das doenças renais, sobretudo para pacientes que necessitam de hemodiálise. Durante a reunião, foi proposta a criação de uma frente parlamentar mista de vereadores e deputados. “O objetivo é fazer essa ponte e pedir socorro por essa população que precisa de tratamento e que muitas vezes não tem onde fazer a hemodiálise, tendo que ir a outros municípios. A ideia é sairmos com uma agenda de ações e soluções para o problema que não pode mais perdurar”, afirmou Manga logo no início à reunião. Ele também frisou que o Governo do Estado, que atende 80% dos pacientes, não cumpre com sua obrigação, criticando a ausência de um representante da Diretoria Regional de Saúde (DRS) na reunião.
 
O encontro reuniu os deputados federais José Olímpio (DEM) e Jefferson Campos (PDS) e os estaduais Rodrigo Moraes (PSC) e Carlos Cezar (PSB). Também estiveram representados os deputados federais Vitor Lippi (PSDB) e Herculano Passos (PSD) e os estaduais Raul Marcelo (Psol), Maria Lúcia Amary (PSDB) e Rita Passos (PSD). Entre as autoridades de Saúde que compõem a comissão especial, participam ainda o secretário municipal de Saúde, Ademir Watanabe; o diretor geral e clínico do Instituto de Hemodiálise de Sorocaba, Jaelson Guilhem Gomes; a vice-presidente da Sociedade de Nefrologia do Estado, Cibele Isaac Saad Rodrigues; o superintendente do Hospital Santa Lucinda, Carlos Aparecido Peres Drisostis; o coordenador de transplante renal do mesmo Hospital, Francisco Antônio Fernandes; o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Francisco  Valério, e representando a Transdoreso, Renato Proença.
 
FINANCIAMENTO INSUFICIENTE - Com relação aos problemas relacionados ao tratamento renal, foram levantados o financiamento insuficiente pelo Ministério da Saúde, uma vez que 85% dos pacientes que precisam de hemodiálise são atendidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde), falta de vagas para internação, fila espera para hemodiálise e irregularidade na distribuição de medicamentos pela Farmácia de Alto Custo, além de falta de treinamento dos médicos da rede básica para diagnóstico precoce e ausência de mapeamento do problema e de centros de transplante. Em Sorocaba, onde o atendimento é de responsabilidade do Governo do Estado, existem atualmente 356 pacientes em tratamento de hemodiálise na cidade e outros 70 fora do Município. 
 
Cibele Rodrigues reforçou a necessidade do Município subsidiar as clínicas prestadoras, que têm diminuído as vagas para conseguir arcar com o caro tratamento, sugerindo, por exemplo, a redução do ISS. “Há necessidade de um entendimento. O Ministério da Saúde coloca a culpa no Estado, o Estado no Município. É um círculo vicioso que não pode penalizar os prestadores de serviço”, disse.
 
O vereador Renan Santos (PCdoB), que é presidente da Comissão de Saúde da Câmara, sugeriu a constituição da frente parlamentar mista suprapartidária, com vereadores e deputados, para se reunir com o secretário estadual de Saúde, David Everson Uip, e com o próprio governador Geraldo Alckmin e cobrar soluções. O requerimento de formação da frente, assinado pelos vereadores presentes, deverá ser aprovada em Plenário durante a sessão de hoje.
 
Os membros da Comissão Especial irão ainda elaborar uma pauta de reivindicações, contendo as prioridades, para serem levadas pelos deputados, que se coloram à disposição para lutar por soluções práticas com ações efetivas junto aos governos estadual e federal. Conforme frisado durante a reunião, hipertensão e diabetes são fatores que levam dois terços dos pacientes renais a necessitarem de diálise. 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar