Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA Instituto Histórico digitaliza acervo sorocabano

Publicada em 03/11/2017 às 19:34
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Arquivo/Fernando Rezende)
PRESERVANDO A HISTÓRIA
 
O Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba instituiu um processo de digitalização do acervo e, atualmente, tem cerca de seis mil fotogramas digitalizados. A ARLS Obreiro de Sião adquiriu um scanner para filme fotográfico de 35 milímetros e a Penitenciária 1 “Dr. Danilo Pinheiro” colocou alguns reeducandos à disposição para participarem do trabalho, coordenado por Claudemir Francisco Conrado, com apoio do presidente da Associação de Apoio e Incentivo à Cultura “Oswaldo Saiane”, o engenheiro Luiz Carlos Andrade.
 
Os reeducandos não precisam ausentar-se da Penitenciária; em sala reservada, foram instalados o computador e o aparelho de tomada da imagem, e alguns negativos foram enviados. Há apoio técnico para a higienização necessária e escaneamento do material.
 
“Atualmente, todos os arquivos devem buscar mecanismo para atualizá-los tecnologicamente, assim como facilitar as pesquisas”, afirma o presidente do Instituto Histórico, professor Adilson Cezar. “Dessa forma, acho impossível nos furtar a esse dever, que é de conhecimento de todos.”
 
Os arquivos são classificados nestas três modalidades básicas: a BHS, da Biblioteca Histórica de Sorocaba “Profª Maria Augusta Macedo”; o MISS, do Museu da Imagem e Som de Sorocaba; e o MSHM, do Museu Sorocabano de História Militar.
 
Por enquanto, o acervo da Biblioteca foi concluído com um número estimado de quatro a cinco mil exemplares; porém apresentam problemas de conservação e não têm classificação. “Pode ser facilmente resolvido com um computador e uma bibliotecária”, adianta o professor Adilson Cezar.
 
Já o do MISS é constituído, em maioria, por acervo fotográfico de Rogich Vieira e de filmes de Landa Lopes. A maior parte foi perdida para a Cinemateca Brasileira, que os retirou por causa da periculosidade. “As películas eram constituídas de nitrocelulose, o que poderia causar explosão e incêndio”, explica o professor. “Conseguimos que parte pequena deles fosse submetida ao processo de telecinagem (transição de fitas cinematográficas para fitas de vídeo).” Com o apoio de Ben Hur Baptista Júnior, foi feita a recente conversão das fitas VHS para DVD.
 
Após a digitalização, o desafio é a classificação, identificação e reconhecimento do acervo para que os dados possam ser acessados com facilidade, promovendo a pesquisa e incentivando-a.
 
A disponibilização ao público ainda é um problema a ser resolvido justamente pelos desafios listados, admite o professor. A ideia é reunir pessoas que disponham de memória e possam ajudar na classificação e identificação. “Somente após alguns resultados é que devemos nos preocupar em adquirir alguns computadores, com a finalidade de deixá-los disponíveis à consulta popular”, explica.
 
IMPORTÂNCIA – “A questão econômica, a facilidade de manuseio, a possibilidade de conservação tanto da reprodução quanto dos originais”, cita o professor Adilson Cezar, sobre o motivo de tamanho empenho para a digitalização do acervo. “Acima de tudo, a oportunidade que estes possam oferecer para a elaboração de estudos mais precisos sobre a gente de Sorocaba.”
 
O presidente do Instituto Histórico ainda menciona alguns momentos que podem ser conferidos no material, como a sessão da Câmara Municipal de Sorocaba por ocasião da entrega do Título de Cidadão Sorocabano ao Governador Laudo Natel e o desembarque no Porto do Santos do Trem Ouro Verde, adquirido pela Estrada de Ferro Sorocabana.
 
VALORIZAÇÃO – O professor explica que o projeto de digitalização seria mais facilmente executado caso o Instituto Histórico dispusesse de recursos financeiros e mão de obra adequada. “Aqui em Sorocaba, poucas são as pessoas que se interessam sobre esse assunto em termos de conhecimento”, lamenta.
 
“Basta um simples olhar pelo nosso quadro associativo, que deveria ser composto principalmente por personalidades formadoras de opinião, e verificar quantos realmente estão interessados em registrar e deixar arquivadas sua história e a de seus ancestrais”, relata o professor. “Se essa situação continuar, certamente iremos perder esses preciosos dados sobre a nossa comunidade e seu dia a dia.”
 
 
Família de Luca receberá homenagem
 
A Semana Aluísio de Almeida deste ano, que começa na segunda-feira (6) com diversos eventos comemorativos no Instituto Histórico, fará uma homenagem à família de Luca, como uma das Famílias Ilustres de Sorocaba. Vitor e Thereza de Luca foram os fundadores do DIÁRIO e, atualmente, o filho do casal, Maurício de Luca, dirige o jornal.
 
“Não existe qualquer outra razão a não ser a comprovação da atuação dos membros dessa família, principalmente junto ao setor da mídia sorocabana”, afirma o professor Adilson Cezar. “A saga dessa família merece ser contada e recontada, pois valoriza o empreendedorismo, o trabalho organizado, disciplinado, e não deixa de lado a inovação.”
 
O coordenador da homenagem, Hamilton Vieira, sugere grupos familiares que podem ou não aceitar a presença no evento. Se resposta afirmativa, a família tem a responsabilidade de apresentar a própria história; o Instituto Histórico, então, arquiva todo o tipo de material disponível a respeito da família.
 
 
Michel Temer condecorado em Sorocaba
 
Adilson Cezar
 
O texto da manchete é real e o fato aconteceu há exatamente 25 anos, quando comemorávamos os 150 anos da sedição liberal de 1842. O Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba, em sua última solenidade realizada na noite de 17 deste mês, apresentou ao público parte da solenidade que marcou o Sesquicentenário da Revolução Liberal de 1842. O Comandante do Comando de Policiamento do Interior Sete, na época Cel. PM Edson Vander Acuio Simeira, atendendo a sugestão do Prof. Adilson Cezar, instituiu o Colar do Sesquicentenário da Revolução Liberal de 1842, que foi pela primeira vez outorgado em 8 de agosto de 1992. 
 
O presidente do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba conseguiu manter uma cópia dessa cerimônia em fita VHS e depois, com auxílio do senhor Ben-Hur Baptista Júnior, foi convertida para DVD, conservando essa memória fotográfica e tornando-a de fácil reprodução.
 
No auditório do IHGGS foi ela reproduzida para os assistentes, que cooperaram na identificação de alguns personagens principais – muitos infelizmente já não se encontram entre nós, mas outros são destaques, são oficiais que estavam em início de carreira, muitos hoje coronéis reformados e não fica apenas no âmbito dos militares, uma vez que muitos civis se fizeram presentes.
 
Membros da diretoria do IHGGS prestigiaram na ocasião de forma maciça. Os pais do então governador Fleury se fizeram presentes. O prefeito de Sorocaba e alguns de seus secretários, tudo isso dá um sabor especial e nostálgico.
 
Dentre os agraciados estava o então Procurador-Geral do Estado de São Paulo, Dr. Michel Temer, que nessa oportunidade foi um dos laureados e dado o destaque atual, pois hoje ocupa a presidência da república, elaboramos a manchete, como atrativo a curiosidade para espiar o conteúdo da matéria e perceber a importância dos arquivos históricos.
 
Após essa solenidade, o Colar foi transformado em Evocativo – Colar Evocativo ao Sesquicentenário da Revolução Liberal de 1842 e todos os Comandantes do Comando de Policiamento do Interior Sete deram continuidade à sua outorga de forma anual.
 
 
Eventos celebram efemérides de novembro
 
O Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba, seu Núcleo Feminino de Apoio, a Academia de História Militar Terrestre do Brasil de São Paulo comemoram estas cinco datas em novembro: o nascimento de Rui Barbosa e dia da Cultura (5/11/1849); nascimento do Monsenhor Luiz Castanho de Almeida (6/11/1904); nascimento do almirante de esquadra Maximiano Eduardo da Silva Fonseca, o patrono das Soamares (6/11/1919); a Proclamação da República (15/11/1889); e o dia da Bandeira do Brasil (19/11/1889).
 
Os eventos comemorativos do mês começam na segunda-feira (6), com a homenagem ao sacerdote historiador Aluísio de Almeida, no Cemitério Saudade, na praça Pedro de Toledo, às 10 horas. A abertura do professor Adilson Cezar e oração pelo padre Tadeu Rocha Moraes serão feitas na quadra 15, chapa 9.820; alunos de escola municipal farão aposição floral no túmulo do Monsenhor.
 
No mesmo dia, a partir das 18h15, a Catedral Metropolitana, na praça Coronel Fernando Prestes, recebe a missa “In Memoriam” a Aluísio de Almeida e ao almirante de esquadra Maximiano Eduardo da Silva Fonseca. O arcebispo dom Júlio Endi Akamine presidirá a missa, cantada pelo coral Gaudentes in Domino.
 
Em seguida, às 19h30, ainda na Catedral Metropolitana, a sessão magna do Instituo Histórico terá uma noite de gratidão, reconhecimento e agradecimento pelo ano, com condecorações e diplomas; as cantoras Teresa Baddini e Joyce Santos de Souza participarão.
 
Na terça-feira (7), a Casa Aluísio de Almeida, no número 84 da rua Dr. Ruy Barbosa, promove uma palestra sobre Family Search, com Mário Luiz de Souza da Silva. Serão apresentados os planos de digitalização de arquivos sorocabanos e sua disponibilidade à população.
 
Famílias Ilustres de Sorocaba serão apresentadas às 19h30 da quarta-feira (8), na Casa Aluísio de Almeida. Com coordenação de Hamilton Vieira, o objetivo é resguardar o legado familiar para as novas gerações.
 
O Auditório “Dr. Mário Cândido de Oliveira Gomes”, na Casa Aluísio de Almeida, recebe a palestra do associado, empresário e escritor Luiz Nietsche, “O Silêncio Mental”, às 19h30 de quinta-feira (9). No mesmo espaço, às 14h30 de sexta-feira (10), haverá a projeção dos primeiros resultados da digitalização do acervo do fotógrafo Rogich Vieira.
 
Os eventos do mês encerram-se às 19h30 do dia 23 de novembro, com a apresentação da Banda Sinfônica do Exército no Lar Monteiro Lobato, no número 1.111 da Rua Antônio Aparecido Ferraz, no Jardim Itanguá. Em caráter beneficente, a entrada é um quilo de alimento não perecível.
 
Para mais informações, basta contatar o Instituto Histórico pelo telefone (15) 3231-1669 ou e-mail ihggs@yahoo.com.br.
 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar