Sábado, 21 de Outubro de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< ENTRETENIMENTO Nova novela das seis começa nesta terça Ambientada nos anos 1920, trama divide-se entre Brasil e Portugal

Publicada em 25/09/2017 às 19:14
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
“Tempo”, conceito tão relativo, abstrato e complexo que rege a vida humana, muitas vezes determinando o rumo dos acontecimentos, moldando encontros e desencontros. “Amor”, sentimento combustível da existência humana, que está acima de tudo que é lógico, percorre distâncias, motiva loucuras e desafia a finitude dos dias. Quando se trata de amor, o tempo não segue a engrenagem das horas, dos minutos e dos segundos. O tempo de amar é agora e é para sempre.
Essa urgência toma conta dos corações de Maria Vitória (Vitória Strada) e Inácio Ramos (Bruno Cabrerizo) quando se veem pela primeira vez, no meio de um ato religioso em Portugal, em 1927. Um amor que arrebata duas pessoas e enfrentará diversas barreiras é o fio condutor da trama da nova novela das seis, “Tempo de Amar”, de Alcides Nogueira, que estreia nesta terça-feira (26), na TV Globo.
 
Os olhares de Maria Vitória e Inácio se encontram nas festividades da Semana Santa, na fictícia aldeia Morros Verdes. Ela, a filha do influente produtor de vinho e azeite, José Augusto (Tony Ramos), o dono da famosa Quinta da Carrasqueira; ele, um rapaz simples de Sobreiro, vilarejo vizinho, que vive de trabalhos temporários. À revelia da família da moça, os dois iniciam um namoro que logo será interrompido. Antes de conhecer a jovem, Inácio havia aceitado uma proposta de trabalho no Brasil e ele precisa partir rumo ao Rio de Janeiro.
 
O ciúme doentio de Fernão Moniz (Jayme Matarazzo), que deseja Maria Vitória, é um dos primeiros obstáculos enfrentados pelos jovens. A filha de José Augusto terá de lidar ainda com as falsidades de Delfina (Letícia Sabatella), empregada da Quinta da Carrasqueira que nutre uma paixão reprimida por seu pai. Tudo se intensifica com a descoberta de uma gravidez, que faz com que Maria Vitória seja enviada a um convento.
 
Já no Rio de Janeiro, Inácio está feliz quando descobre que a amada espera um filho. Nas vésperas do embarque para seu retorno, vai a um vilarejo fazer um último pagamento para o patrão, mas é assaltado e espancado. Quem o socorre é Lucinda (Andreia Horta), moça reclusa e cheia de traumas. Entre a vida e a morte, Inácio passa a ser cuidado por ela e perde contato com todos os seus conhecidos. Lucinda acaba se apaixonando e não medirá esforços para que ele nunca mais encontre a amada.
 
Enquanto isso, em Portugal, as freiras entregam a filha que Maria Vitória dá à luz para adoção. Ela, então, desespera-se e foge para o Brasil atrás de Inácio, que é dado como morto. Separados pelos acontecimentos, Inácio e Maria Vitória sobreviverão como podem, sem nunca perder a esperança de um dia reviver esse amor.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar