Domingo, 22 de Outubro de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< CULTURA O Cravo e a Rosa mostra clássicos ao som do cravo e da viola caipira

Publicada em 14/09/2017 às 18:38
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
MÚSICA CLÁSSICA
 
“O Cravo e a Rosa”, concerto de música erudita que será apresentado às 20h30 desta sexta-feira (15), no Teatro Municipal, no Parque da Boa Vista, é a união do cravo, instrumento clássico dominante nas cortes dos séculos 17 e 18, com o som popular da viola caipira, do duo formado por Patrícia Gatti, uma das principais responsáveis pela atualização do cravo na música brasileira, e pelo violonista, violeiro, contrabaixista, arranjador e compositor Ricardo Matsuda. A entrada é gratuita e os ingressos serão distribuídos por ordem de chegada ao Teatro a partir das 19 horas.
 
A apresentação integra o projeto Schaeffler Música – 8ª Temporada de Música Clássica de Sorocaba, que oferece no ano de 2017 uma programação musical e pedagógica de altíssima qualidade, como afirma seu curador, o músico sorocabano Marco de Almeida, da MdA International, dedicando especial atenção ao repertório das composições brasileiras nos diversos concertos programados.
 
`O CRAVO E A ROSA´ -As violas brasileiras- como as rabecas, os pífanos, as sanfonas e os berimbau - marcam importante presença na narrativa da formação cultural e musical do duo Patrícia Gatti e Ricardo Matsuda. Trazida por jesuítas, as violas desenvolveram no Brasil características próprias de construção e de sua musicalidade através dos mestres de folias, de lendários violeiros e repentistas e dos músicos que migraram para as cidades tocando e cantando a vida, a paisagem, a saudade, o drama e os personagens identificados com a origem rural.
 
Instrumento dominante nas cortes dos séculos XVII e XVIII, o cravo conta com um vasto repertório produzido pelos principais compositores do período, que inclui Frescobaldi, Bach, Couperin, Rameau e Scarlatti. Identificado com a aristocracia europeia, caiu em desuso no século XIX, especialmente em decorrência da predileção pela sonoridade do pianoforte, que passou a melhor atender às demandas do gosto musical vigente. Retornou à cena musical apenas no início do século XX, sendo recuperado - instrumento, repertório e vocabulário - pela musicologia histórica e pela produção musical e acadêmica, o que possibilitou a formação de novos cravistas a despertar o interesse de novas plateias. 
 
Este contraste foi o ponto de partida para que a cravista Patrícia Gatti e o violeiro e compositor Ricardo Matsuda propusessem este encontro instrumental. Amparados por uma parceria musical pregressa como integrantes do premiado Grupo Anima, lançaram em 2009 o primeiro CD, em dueto inédito, “Contos Instrumentais”.
 
O PROGRAMA – O programa do concerto desta noite, “O Cravo e a Rosa”, traz as seguintes composições: Tradição oral brasileira - A Lua girou/ Viva o Sol, viva a Lua; Anônimo, século XIV – Stella splendens in monte; Tavinho Moura/Fernando Brant – Paixão e Fé; Partita nº 3, Prelúdio - J.S. Bach - viola solo; Baden Powell & Vinícius de Moraes – Samba em prelúdio – cravo solo;Antônio Carlos Jobim – Tema de amor para Gabriela; Edu Lobo e Chico Buarque – Beatriz; Guinga & Paulo C. Pinheiro – Senhorinha;Tradição oral brasileira – O cravo e a rosa; Hermeto Pascoal – São Jorge; Dorival Caymmi – Pescaria; eMilton Nascimento & Fernando Brant – Milagre dos peixes.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar