Quarta-Feira, 13 de Dezembro de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< CULTURA Grupo Katharsis ministrará oficina de processos cênicos

Publicada em 05/09/2017 às 18:36
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
O Sesc Sorocaba, por meio do Projeto Coletivações, realiza neste mês de setembro a oficina “Corpo e processos cênicos coevolutivos”, entre os dias 9 e 30, aos sábados, das 10h30 às 13h30, de graça.  A atividade, que aborda o corpo e suas relações, será ministrada pelo Grupo Katharsis e estão sendo disponibilizadas 30 vagas, recomendadas para maiores de 14 anos.
 
As inscrições devem ser feitas na Central de Atendimento da Unidade, no Jardim Faculdade, ou pelo portal na Internet.
 
A oficina será dividida em quatro encontros, que abordarão o corpo e suas relações: corpo e luz, corpo e som, corpo e voz, e corpo, objeto e improvisação. Baseada nos princípios de trabalho que o grupo vem desenvolvendo nos últimos 12 anos, acerca da teatralidade e da produção cênica coevolutiva (em que todos os elementos da cena são codependentes e evoluem conjuntamente), a proposta é trazer um compartilhamento de procedimentos, discussões e estudos. 
 
Em outubro o Grupo Katharsis volta ao Sesc Sorocaba para apresentar o espetáculo “As estrelas são para sempre?”, nos dias 13 e 14, sexta e sábado, às 20 horas. Na peça, são colocados em cena vários personagens anônimos, que falam línguas diferentes e habitam um espaço e um tempo sem referência. Ainda no dia 14 do mês que vem, acontece o bate-papo “Corpo e teatralidade na cena contemporânea”, onde o ator-mímico, diretor e dramaturgo Luís Lois comanda um debate junto aos integrantes do Grupo Katharsis, para discutir questões inerentes ao fazer teatral contemporâneo.
 
GRUPO KATHARSIS - O Grupo Katharsis iniciou as suas atividades em 1989. Mais tarde, em 1994, seu diretor Roberto Gill Camargo, então como chefe do Departamento de Letras da Uniso (Universidade de Sorocaba), anexou o grupo ao Curso, caracterizando-o como uma atividade de extensão vinculada à Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade.
 
O dramaturgo e pesquisador de iluminação Roberto Gill assumiu a direção do Katharsis em 1995, propondo uma nova dinâmica nos trabalhos desenvolvidos pelo grupo. Apresentando obras mais densas, o grupo partiu em busca de uma linguagem cênica própria, única. Iniciou, então, um período de estudos, promovendo seminários acerca do teatro contemporâneo, que resultaram no espetáculo-conferência intitulado “Endoscopia” (2005).Em seguida, os seminários se tornaram atividades anuais no calendário do grupo, sendo apresentados no intuito de estimular a discussão teatral no evento Seminário Contemporâneo, que já em sua quarta edição apresentou colóquios com temas relacionando o teatro à arte-educação, à sua história na cidade de Sorocaba, às mídias e ao homem contemporâneo.
 
Com o espetáculo "Aves, ovos e parafusos", o grupo particularizou a linha de pesquisa. O espetáculo foi premiado em importantes festivais nacionais, chegando a ser selecionado para participar do V Festival de AccionesEscenicas Lima-Norte 2007, no Peru, além de ganhar como melhor espetáculo no 21º Festival Universitário de Teatro de Blumenau, com prêmios individuais de direção (Roberto Gill Camargo), melhor atriz (Andréia Nhur) e melhor figurino (Janice Vieira), além de várias indicações. Andréia Nhur ganhou prêmios de melhor atriz em outros dois festivais nacionais (Americana e Rio das Ostras). Atualmente, o Katharsis realiza, ao longo do ano, seminários, imersões e apresentações, focando seus trabalhos, principalmente, na participação em festivais e mostras teatrais.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar