Quarta-Feira, 13 de Dezembro de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA CPI aprova afastamento de Crespo e relatório é lavado ao Ministério Público Documento aponta indícios de infração e prevaricação

Publicada em 11/08/2017 às 17:52
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga possível crime de prevaricação por parte do prefeito José Crespo (DEM), em reunião nesta sexta-feira (11), aprovou o relatório do relator, Hudson Pessini (PMDB), em que pede o afastamento do chefe do Executivo; uma cópia foi entregue ao Ministério Público. 
 
Conhecida como CPI do Diploma, a comissão apurou atos de Crespo diante da denúncia da vice-prefeita, Jaqueline Coutinho (PTB), sobre a escolaridade da ex-assessora Tatiane Polis, em cargo comissionado de nível Superior; para isso, foram feitas seis oitivas.
 
A presidente da CPI, vereadora Fernanda Garcia (Psol), ressaltou que a comissão conseguiu esclarecer a questão da validade do diploma logo de início, o que ajudou, inclusive, a Corregedoria do Município. 
 
O relatório aponta indícios de autoria e ocorrência de infrações administrativas e crime de prevaricação por Crespo, que devem implicar, se julgados procedentes, em sua cassação e condenação criminal. 
 
O documento ressalta que ficou comprovado que as investigações só se estabeleceram formalmente pela Prefeitura quando da ausência do prefeito para viagens, bem como restou claro que a brevidade empregada ao procedimento de investigação, o que se deu de forma anômala, não usual, a fim de se obter conclusão favorável e rápido arquivamento da denúncia, conforme depoimento da corregedora Cristiane Piedemonte e do corregedor-geral Gustavo Barata.  
 
Também destaca a irregularidade do diploma da assessora emitido pelo Colégio Cobra, do Rio de Janeiro, conforme documento fornecido pela Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro. O documento recomenda, ainda, instauração de nova CPI para investigar assédio moral contra funcionários públicos. 
 
Por nota, a Secretaria de Assuntos Jurídicos e Patrimoniais informa que a Prefeitura vai aguardar a notificação oficial do Ministério Público para conhecer o teor do inquérito e decidir as providências que serão adotadas.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar