Domingo, 20 de Agosto de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< ECONOMIA Cesta básica segue ritmo de quedas em Sorocaba Em um mês, a diferença foi de R$ 18,21 pagos a menos

Publicada em 10/08/2017 às 22:52
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
BOLSO DO CONSUMIDOR
 
O consecutivo aumento do preço da cesta básica em maio parecia indicar nova alta, contudo não foi o que aconteceu; junho e julho voltaram às quedas. Conforme o boletim do Laboratório de Ciências Aplicadas da Universidade de Sorocaba, a cesta básica teve queda de 3,06% no mês passado, tratando-se da quarta queda no ano e a terceira maior em quase 20 anos de pesquisa. 
 
Quando comparado com julho de 2016, o conjunto de itens teve queda de 5,45%, ou seja, R$ 33,32 pagos a menos pelo consumidor; analisado com junho deste ano, também houve decréscimo, passando de R$ 595,92 para R$ 577,71, ou seja, R$ 18,21 pagos a menos. 
 
Dos 34 itens pesquisados, nove tiveram alta, porém apenas em dois deles tal alta foi significativa. A cebola foi o de maior elevação (38,92%), passando de R$ 1,85, o quilo, para R$ 2,57. Esse aumento deve-se ao período de entressafra e à redução da área plantada, que, juntos, contribuíram para a redução de cebola. 
 
A farinha de mandioca foi o segundo item que mais teve elevação, passando de R$ 3,37, meio quilo, para R$ 3,74. O principal motivo foi o clima seco que levou os produtores a postergarem a colheita da raiz, reduzindo, assim, sua oferta no mercado doméstico. 
 
Em contrapartida, a batata foi o que mais teve queda, cotada a R$ 1,73, o quilo, em julho, ante R$ 2,38, ou seja, queda de -27,31%. Como no ano passado os preços mostraram-se muito elevados, os produtores resolveram aumentar a área de plantio. O resultado foi uma ótima safra que, dado uma demanda estável, levou à redução de preço. 
 
Outro item que apresentou queda considerável no preço foi o feijão carioca (-9,14%). A razão foi a safra aliada à importação do feijão argentino, que costuma ocorrer nessa época do ano; tais fatores elevaram a oferta do grão, ao mesmo tempo em que o consumo apresentou queda.  
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar