Quinta-Feira, 23 de Novembro de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA Crespo denuncia vice à polícia e determina afastamento de cargo Prefeito denuncia vice por violação ao dever de atendimento ao princípio de legalidade na Administração Pública, falta de decoro, injúria e assédio moral

Publicada em 17/07/2017 às 19:56
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Secom)
O prefeito José Crespo (DEM) denunciou a vice-prefeita Jaqueline Coutinho à Polícia Civil na tarde desta segunda-feira (17). Em entrevista coletiva hoje, ele informou ter notificou a vice-prefeita para que ela se ausente das atividades e ações deste governo e também atendeu ao pedido que a assessora Tatiane Polis fez para que o Executivo a exonerasse. 
 
No ofício à vice-prefeita, Crespo disse ter solicitado que Jaqueline permaneça na expectativa de substituição do prefeito em caso de eventual impedimento e assim, providencie a desocupação da sala onde atuou até agora, inclusive deixando livre de objetos e bens pessoais e particulares, no prazo de 24 horas.
 
Na denúncia direcionada ao delegado seccional Marcelo Carriel, Crespo pediu que a vice-prefeita seja investigada dos eventuais crimes de improbidade por violação ao dever de atendimento ao princípio de legalidade na Administração Pública, por falta de decoro, injúria e assédio moral.
 
O prefeito afirmou que, a pedido da vice-prefeita, nomeou para a função de livre nomeação no Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), que no entanto o exonerou posteriormente, ao receber denúncia de grave natureza com indícios da prática de condutas contrárias ao ordenamento jurídico, ilegais e imorais, que caso comprovadas, serão passíveis de improbidade administrativa, crime de responsabilidade e outras condutas ilícitas.
 
De acordo com tais denúncias, esse profissional indicado pela vice-prefeita, atuaria como motorista particular dos filhos, pais e da própria vice-prefeita, e ainda serviria de “marido de aluguel”, executando serviços domésticos em horário de expediente, como levar e buscar filhos na escola, os pais em consultas médicas, compras, etc.
 
Crespo acrescentou que a vice-prefeita, nutre desde os tempos da campanha eleitoral, antipatia imotivada e verdadeira aversão pessoal contra a servidora Tatiane Polis, que teve origem em um episódio durante uma “festa surpresa” para Jaqueline, no dia de seu aniversário. O bolo de aniversário teria sido levado por Tatiane Polis, por determinação do prefeito, por ter sido abandonado pela aniversariante. Mais tarde, segundo o prefeito, Jaqueline teria acusado Tatiane de ter levado o bolo dela.
 
Segundo o prefeito, devido à aversão pessoal, Jaqueline passou a criar, quase diariamente, intrigas e desconfortos contra Tatiane, na tentativa que pedisse demissão. Ela haveria feito perseguição pessoal, sob o argumento que teria recebido denúncia anônima e foi pessoalmente até a Faculdade Esamc, tentar obter informações de prontuário acadêmico de Tatiane, mas não conseguiu porque a Faculdade negou. Inconformada, procurou colega e filiado do PTB, que conseguiu obter na secretaria da Esamc, informações e cópias de documentos de Tatiane, incluindo o diploma de nível Superior.
 
Vice-prefeita registra novo BO contra Crespo
 
A vice-prefeita Jaqueline Coutinho registrou, nesta segunda-feira (17), mais um boletim de ocorrência contra o prefeito José Crespo (DEM). Ela acusa-o de infração político-administrativa ao pedir seu afastamento do cargo. 
 
Crespo já é investigado pela Comissão Processante com base na mesma infração, por um conflito com Jaqueline no dia 23 de junho; assim, essa nova denúncia é a segunda no mesmo artigo contra ele.
 
“Não consegui acessar meu gabinete porque a chave não abria a fechadura. Isso foi constatado por volta do meio-dia, junto com membros do PTB para uma reunião. A porta já estava aberta, mas a chave que tínhamos não abria a fechadura”, conta Jaqueline.
 
Ela disse, ainda, ter recebido, por volta das 15h30, em sua casa, um documento assinado por Crespo dizendo que, por não ter o exercício do mandato, na condição de expectante, ela deveria afastar-se das atividades do governo e teria um prazo de 24 horas para retirar seus pertences pessoas da sala situada no Paço. 
 
Jaqueline adianta não ter a intenção de desocupar seu gabinete, como tinha determinado o prefeito. Ela ressalta que tomará todas as medidas judiciais contra Crespo e afirma que, mesmo com as fechaduras das portas de sua sala no Paço trocadas, irá trabalhar normalmente nesta terça-feira (18). 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar