Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA Assessora de Crespo pede exoneração

Publicada em 17/07/2017 às 17:42
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
A assessora do prefeito José Crespo (DEM), Tatiane Regina Goes Polis, pediu exoneração do cargo. Em carta ao Executivo, divulgada na tarde desta segunda-feira (17), a funcionária diz ter sofrido “intensas perseguições”.
 
Tatiane afirma não reconhecer nenhuma culpa e que sempre executou seus atos com boa-fé. “Afastada das minhas atuais atribuições, terei condições de demonstrar que não cometi nenhuma irregularidade e buscar os meus direitos contra quem me acusa injustamente.”
 
Ocupando o cargo de assessora nível III, ela diz acreditar na gestão e no projeto de governo de Crespo, contudo ressalta que “toda essa exposição e perseguição”, das quais está sendo alvo, têm trazido sérias consequências para ela e para sua família.
 
“Diariamente sou chamada de ‘vagabunda analfabeta’ nas ruas e redes sociais, recebi cartas escritas a mão no portão de minha casa com injúrias e ameaças, meu marido recebe vídeos que afirmam que sou adúltera e os mesmos são compartilhados milhares de vezes nas redes sociais, minha casa foi arrombada, muitos itens roubados, toda nossa privacidade invadida e escancarada, minha mãe teve um mal súbito dentro de casa, devido a uma alteração brusca em pressão alta e precisei levá-la ao hospital, minha filha bateu o carro por estar com alto nível de estresse e pressão, precisei tirar meu filho de 7 anos da cidade com o intuito de protegê-lo, já que está muito abalado e exposto a comentários maldosos e infames contra nós e meu filho de 2 anos tem tido crises de choro a todo momento, dormido e se alimentado mal, causando danos a sua saúde”, elenca Tatiane. 
 
Ela encerra sua carta afirmando que os fatos têm impactado sua saúde física e mental e adianta que recorrerá a seus direitos legais. 
 
CPI – Mais cedo, a presidente da CPI que investiga a escolaridade da assessora, Fernanda Garcia (Psol), iria propor a Tatiane a exoneração do cargo de comissão, ressarcimento aos cofres públicos e cancelamento do registro do diploma de Ensino Superior da comissionada. 
 
Nesta terça-feira (18), às 9 horas, em plenário, a CPI se reunirá para seguir com os encaminhamentos de investigação, após receber parecer da Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro, o qual nega existir registros de Tatiane como formada em Ensino Fundamental e Ensino Médio pelo Colégio Cobra.
 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar