Sábado, 19 de Agosto de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< POLÍCIA Nova droga gera alertas em Sorocaba Efeitos da MDMA são muito parecidos com os do ecstasy, como euforia, sentidos tinindo e sede

Publicada em 16/05/2017 às 10:49
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

São cristais brancos ou incolores, que podem virar pó (Foto: Divulgação)
O presidente da Câmara Municipal, Rodrigo Manga (DEM), chama atenção para uma nova e devastadora droga que já pode ser encontrada em Sorocaba. Ela se chama cristal, mas é mais conhecida como MDMA ou MD, siglas para metilenodioximetanfetamina. Nesse sentido, inclusive, o vereador teve requerimento aprovado no Legislativo, cobrando da Prefeitura informações sobre as ações que têm sido adotadas para combater o comércio e o consumo de drogas, quanto à MDMA. “É a forma mais pura do ecstasy e são necessárias ações para evitar que se torne uma epidemia. Conforme relatos de usuários, ela é mais frequentemente comprada em baladas”, relata. Por se tratar de uma droga de alto custo, os principais públicos são as classes média e alta. Um grama custa aproximadamente R$ 200 e rende até sete doses, enquanto a mesma quantidade de cocaína custa em torno de R$ 50.
 
Cristal, como o nome diz, são cristais brancos ou incolores, como açúcar, que podem ser esmagados para virar pó. Segundo especialistas, a MD é uma das substâncias que compõem o ecstasy, que leva também alucinógenos, anfetamina e ácido, além de outras substâncias químicas e até talco, farinha e produtos de limpeza. Os efeitos são muito parecidos com os do ecstasy e causam euforia, sentidos tinindo e muita sede. “A pessoa fica inicialmente com uma sensação muito boa, sentindo-se muito bem, mas depois vem o efeito destrutivo da droga. Você pode ficar dias sem comer ou dormir”, frisa o vereador, lembrando que o fim do efeito pode deixar a pessoa exausta, agressiva e até paranoica.
 
Desta forma, Manga defende que o Poder Público deve concentrar todos seus esforços no combate deste mal, que vem destruindo indivíduos e famílias. “Será que há ações policiais no entorno de estabelecimentos comerciais com grande concentração de jovens, como clubes e bares? Há registros de apreensão da referida substância em nosso Município? Estou cobrando essas informações da Prefeitura.”
 
O vereador também quer saber se existem políticas na estrutura de atendimento à população, como Caps e UPHs, voltados especificamente para este público, de usuários da MD. Do contrário, de antemão ressalta a necessidade de capacitação das equipes para tanto. 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar