Quinta-Feira, 21 de Setembro de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< POLÍCIA Falso agente de modelos é preso por assédio sexual Universitário estaria usando redes sociais para conseguir interessadas e contrato para ato hediondo

Publicada em 07/03/2017 às 20:32
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Um universitário de 24 anos, morador de Sorocaba, que se passava por agente de modelos e exigia favores sexuais das candidatas interessadas em ganhar até R$ 15 mil por mês, foi preso por policiais civis. O falso agente usava as redes sociais para angariar interessadas e condicionava a assinatura do contrato ao ato sexual.

Uma candidata marcou um encontro com o suspeito e chamou a polícia. Ele foi preso em flagrante por tentativa de estupro mediante fraude, mas vai responder em liberdade ao crime. A prisão ocorreu na noite de sexta-feira (3), em Salto de Pirapora (SP), mas o caso só foi divulgado na segunda-feira (6).

A jovem que procurou a polícia já havia trabalhado como modelo e respondeu a uma proposta do suposto agente na rede social. Depois de falar sobre a possibilidade de ganhos de R$ 2 mil a R$ 15 mil, o rapaz disse que representava uma grande agência da Capital e começou a assediá-la. Ele quis saber se ela era ambiciosa e se estava disposta a tudo para conseguir um contrato. "Buscamos meninas gananciosas e ambiciosas que façam qualquer coisa para garantir a vaga", postou.

À polícia, a jovem disse ter percebido que era golpe, pois a agência citada por ele não tinha agentes na região, mas decidiu manter o diálogo com o propósito de entregar o aliciador à polícia. Ele propôs um teste em que ela teria de ser fotografada em roupas íntimas.

"Envia-me fotos do seu corpo", pediu. Em seguida, referiu-se ao teste do sofá e foi direto ao ponto. "Existe algo que eu não possa fazer no teste? Eu posso tudo? Eu realmente quero dar a vaga pra você...", escreveu.

"Modelo não é prostituta... ao meu ver. Pelo menos sempre fiz propagandas e nunca precisei disso", reagiu a jovem.

Ele deu sequência ao diálogo dizendo que ela estava sendo radical. "A questão é a vaga e o dinheiro. As vagas são para TV e o famoso teste do sofá existe... infelizmente.”

O rapaz, cujo nome não foi divulgado pela polícia, foi preso no local em que havia marcado encontro com a jovem, em uma praça de Salto de Pirapora. Ele cursa uma faculdade em Sorocaba e trabalha com informática, mas negou o assédio à polícia, alegando que havia combinado uma brincadeira com amigos.

Depois de passar a noite na cadeia, o estudante foi posto em liberdade durante a audiência de custódia, no Fórum de Sorocaba. A Polícia Civil investiga se ele fez outras vítimas.

A moça disse que o rapaz foi extremamente vulgar e só manteve a conversa pela rede social e por um aplicativo para entregá-lo à polícia. "Espero que nenhuma outra mulher tenha de passar por isso", disse.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar