Sábado, 27 de Maio de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA Novo arcebispo chega e cativa pela alegria do Evangelho Dom Julio Endi Akamine, SAC, inaugura novo tempo para a Igreja Particular de Sorocaba, como jovem Pastor para o tempo presente de uma (Arqui)Diocese quase centenária

Publicada em 25/02/2017 às 23:38
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Fernando Rezende)
As enormes e intermináveis filas de pessoas que se formaram pelo corredor central da Catedral para saudá-lo, ao final das cerimônias, testemunhavam tempos novos para uma Igreja Particular quase que centenária com a investidura de dom Julio Endi Akamine, SAC, como quinto bispo titular e terceiro arcebispo metropolitano de Sorocaba. Como resumiam integrantes da Paróquia de Nossa Senhora da Lapa e de outras comunidades da Região Pastoral da Lapa, na Capital, onde dom Julio desde 2011 exercia seu ministério episcopal como bispo-auxiliar da Arquidiocese de São Paulo, que mesmo entre contratempos de uma estrada congestionada diante do êxodo do feriado de Carnaval fizeram questão de estar presente ontem em Sorocaba, “viemos trazer, entre alegria e também lágrimas, um precioso mimo a vocês”. Verdadeiramente, o novo Arcebispo, descendente de japoneses e religioso da Obra de São Vicente Pallottio (Padres Palotinos), cativa a todos pela alegria do Evangelho e fidelidade ímpar a seu lema episcopal: “Não vos canseis de fazer o bem” (Gálatas 6,9). Quando dos cumprimentos ao final da missa, a todos estendia as mãos com um sorriso aberto, acolhedor e cativante nos lábios.
 
A Catedral Metropolitana de Nossa Senhora da Ponte outra vez se mostrou demasiadamente pequena para acolher a multidão de sorocabanos, arquidiocesanos de cidades vizinhas, familiares, amigos e católicos de São Paulo que a ela acorreram na manhã deste sábado (25) para participar da solenidade de investidura, assim, de dom Julio Endi Akamine como novo arcebispo metropolitano de Sorocaba, na sucessão de dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues. Muita gente acompanhou o ato do lado de fora da igreja, por telão instalado nas suas escadarias e sintonizado na Rede Vida de Televisão, que o retransmitia ao vivo para todo o Brasil. Na homilia, na primeira saudação de sua nova Cátedra junto à Sé da Senhora da Ponte aos arquidiocesanos sorocabanos, exprimiu sua missão como aquele que vem em nome do Senhor. Tendo como pano de fundo o Evangelho das Bodas de Caná escolhido para a Celebração Eucarística de sua posse, dom Júlio sintetizou na busca perseverante de sempre fazer a vontade de Deus a cada momento a meta maior de sua presença episcopal em Sorocaba, acima de qualquerplanou ou prioridade pastoral, lembrando-se da orientação dada aos que serviam vinho que começava a faltar naquela festa de casamento em Caná da Galiléia: “Fazei tudo o que Ele vos disser!”.
 
A POSSE DE DOM JULIO COMO ARCEBISPO – Passava um pouco das 9h30 quando, precedido de batedores da Polícia Militar do Estado e da Guarda Civil Municipal, o automóvel conduzindo dom Júlio Endi Akamine para sua investidura como arcebispo metropolitano de Sorocaba adentrou à praça Cel. Fernando Prestes. A seu lado, estavam o agora arcebispo emérito dom Eduardo Benes e o arcebispo metropolitano de Campinas, dom José Airton dos Santos, escalado à última hora pelo cerimonial para substituir o cardeal-arcebispo metropolitano de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer, que só pode chegar à cidade quando o Celebração Eucarística na Catedral já estava em andamento. O carro que o conduzia até a Sorocaba, assim como veículos em que viajavam outros bispos residentes na região de São Paulo e vários ônibus que traziam antigos diocesanos de dom Julio residentes na Região Episcopal da Lapa onde era bispo-auxiliar, ficaram presos em longo congestionamento verificado ontem cedo na Rodovia Castello Branco, na altura de Alphaville, por conta de engavetamento envolvendo carretas, agravado pelo trânsito pesado próprio da saída de paulistanos para passar os feriados de Carnaval no Interior. Dom Odilo conseguiu chegar quando a missa ainda estava na primeira parte, graças a batedores da Polícia Rodoviária que teriam escoltado seu automóvel por muitos quilômetros de acostamento, mas muitos bispos, sacerdotes e outros convidados só chegaram no final ou mesmo depois de terminada a celebração.
 
Coube ao padre Tadeu Rocha Moraes, pároco da Catedral Metropolitana, acolher dom Julio junto às escadarias da Sé, apresentando-lhe o Crucificado para o ósculo. Antes de receber a água benta para adentrar à Catedral aspergindo os presentes ao som do canto “Ecce sacerdosmagnus” (“És sacerdote eternamente”) e orar por instantes na Capela do Santíssimo, saudaram o novo Arcebispo, em nome dos poderes constituídos da cidade (Executivo, Legislativo e Judiciário), o prefeito José Antônio Caldini Crespo, o vice-presidente da Câmara Municipal, vereador Pastor Luís Santos, e o juiz de Direito diretor do Fórum da Comarca local, dr. Hugo Leandro Maranzano.
 
Antecipando a investidura do novo Arcebispo, ao início da missa coube ao padre Tadeu Rocha Moraes acolher aos presentes, inclusive nominando uma a um os mais de trinta arcebispos e bispos que vieram manifestar colegialidade e proximidade a dom Júlio, inclusive fazendo retrospecto da história de Sorocaba, desde os primórdios de sua fundação na segunda metade do século XVII, à sombra da Cruz e sob a proteção da Virgem da Ponte, e da própria caminhada da Igreja Particular, quem em 2024 terá o centenário de sua criação canônica como Diocese pelo papa Pio XI e este ano, em 3 de julho, celebrará seu Jubileu de Prata como Arquidiocese. E acentuou acolher a Arquidiocese a dom Julio como menino com muitos sonhos pela frente, com lábios de pai sempre disposto a acolher e a aconselhar a cada um e com o olhar de avô, pleno de luz e sabedoria, não deixando de apresentar a todos dona Rosa (sra. Teruko Oshiro Akamine), a mãe de dom Júlio, aliás primeiro bispo do País saída do seio da comunidade católica nipo-brasileira.
 
Outro momento de profunda comoção logo ao início da missa foi quando, logo após a leitura do mandado apostólico em que em nome do papa Francisco o núncio apostólico no Brasil, dom Giovanni D´Aniello, reconhecia a investidura do terceiro arcebispo de Sorocaba e o Colégio de Consultores da Arquidiocese o acolhia, dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, ao destacar a imensa alegria da ocasião e lembrar novamente com João Batista ser a voz que passa, deixando a Palavra que permanece, em silencia entregar o Báculo, símbolo do governo arquidiocesano, e a Cátedra a dom Julio Endi Akamine, enquanto o coro entoava uníssono “Bendito o que vem em nome do Senhor!... Sem vos cansais de fazer o bem!”.
 
Auxiliar seu na Arquidiocese de São Paulo desde que o então papa Bento XVI em 2011 o chamou para o Episcopado, dom Odilo Pedro Scherer trouxe seu apreço a dom Júlio Endi Akamine, fazendo votos que possa ser o Pastor do tempo presente para a Arquidiocese de Sorocaba, não deixando também de agradecer a dom Eduardo de Sales Rodrigues, implorando a Deus que “também o recompense pelo seu profícuo trabalho à frente desta Arquidiocese”. (Texto de José Benedito de Almeida Gomes)
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar