Sábado, 24 de Junho de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< ESPORTE Campeão Palmeiras reencontra a casa e a torcida no amistoso contra Ponte Preta neste domingo

Publicada em 29/01/2017 às 08:28
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Torcida, Palmeiras e estádio Allianz Parque, em São Paulo. O encontro dos componentes que deram tão certo em 2016, na campanha do título do Campeonato Brasileiro, será neste domingo, depois de dois meses. O amistoso contra a Ponte Preta, às 17 horas, é o último da pré-temporada e a chance de analisar a forma como o time pode render em campo.
 
A equipe que trouxe oito novos jogadores ainda não terá a força máxima. Jogadores como Moisés e o colombiano Mina, por exemplo, estão em processo de preparação física e o recém-contratado venezuelano Guerra aguarda a resolução de problemas burocráticos
 
A uma semana da estreia no Campeonato Paulista, contra o Botafogo, o técnico Eduardo Baptista mantém o mistério em duas posições principais. No gol, Fernando Prass e Jailson devem se revezar no amistoso. No ataque, o paraguaio Lucas Barrios inicia como titular depois de Alecsandro ter sido a escolha contra a Chapecoense.
 
Apesar das ausências, a torcida vive a expectativa de ter o primeiro contato com as contratações. A principal delas, o volante Felipe Melo, será titular, assim como Raphael Veiga, meia ex-Coritiba, que tem se destacado na pré-temporada. O também meia Michel Bastos pode estrear pela equipe. "Temos um elenco numeroso. É importante que o atleta veja com a gente que estamos sendo coerentes e que ele vai ganhar a oportunidade quando estiver bem", disse o treinador, que reencontra a Ponte Preta, equipe que treinou em 2016.
 
O jogo tem um significado especial para o elenco do Palmeiras por ser o último antes do fim da inscrição para o Paulistão. Até quinta-feira, os clubes precisam enviar à Federação Paulista de Futebol (FPF) uma lista preliminar com 28 nomes. O atual campeão brasileiro precisa cortar três jogadores.
 
A situação cria um problema para o treinador, pois como é obrigatório selecionar três goleiros, algum jogador de linha de mais renome pode acabar fora. "Será muito difícil escolher. Vou usar todo o tempo que me foi dado até soltar a lista e não cometer nenhuma injustiça", disse o treinador.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar