Quinta-Feira, 27 de Abril de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< BRASIL Municípios são obrigados a fazer levantamento relacionado ao Aedes

Publicada em 28/01/2017 às 07:22
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Resolução do Ministério da Saúde publicada ontem no “Diário Oficial da União” torna obrigatório o levantamento entomológico de infestação por Aedes aegypti em todos os municípios do País. O texto também estabelece que as informações sejam enviadas às secretarias estaduais de saúde e, posteriormente, ao Ministério da Saúde.
 
De acordo com a publicação, a decisão foi tomada levando em consideração os diversos condicionantes que permitem a manutenção de criadouros do mosquito, a cocirculação de quatro sorotipos da dengue no País e a existência de grande contingente populacional exposto previamente a infecções pelo vírus, aumentando o risco para ocorrência de epidemias com formas graves da doença e elevado número de óbitos.
 
A pasta também considerou a identificação de casos de febre chicungunha, com transmissão autóctone comprovada em alguns municípios e risco iminente de expansão, além do surto do vírus zika e sua rápida dispersão para todas as regiões do País, provocando epidemias importantes acompanhadas de graves manifestações neurológicas em adultos e recém-nascidos.
 
Ainda segundo o ministério, levantamentos de índices de infestação devem ser utilizados como ferramenta para direcionamento e qualificação das ações de prevenção e controle do mosquito. A proposta é que municípios infestados com mais de 2 mil imóveis façam o Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti, enquanto as cidades infestadas com menos de 2 mil imóveis terão de efetuar o Levantamento de Índice Amostral.
 
Já localidades onde não há infestação deverão realizar monitoramento por ovitrampa ou larvitrampa (armadilhas que identificam a presença de mosquitos na região) ou outra metodologia validada. As informações geradas após cada levantamento deverão ser consolidadas pelas secretarias estaduais de Saúde e enviadas ao ministério. A resolução entrou em vigor ontem.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar