Sábado, 29 de Abril de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< ECONOMIA Preço do pão aumenta; padarias seguram repasse para trazer consumidores de volta

Publicada em 22/01/2017 às 11:19
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Sérgio Tomazi preocupa-se com concorrência na venda de pães (Fernando Rezende)
A presença do "filãozinho", diariamente, na mesa do sorocabano, pode estar ameaçada pelo aumento do preço dos pães, que está previsto para este início de 2017. O reajuste no valor da farinha somado ao dissídio coletivo, que envolve variações em custo de eletricidade, gás e funcionários, é o motivo para a mudança de preço.
 
Sérgio Tomazi, dono de uma padaria na Vila Haro, manteve o valor estável pelos últimos 10 meses, mas entende que a postura precisará ser alterada devido ao custo de produção e de funcionários. "A gente não repassou aumento antes porque a concorrência está desleal", relata. "Mas teve queda nas vendas porque o cliente só consome o necessário." Em um estabelecimento no bairro Trujillo, o último aumento deu-se no fim do ano. "Mas a venda é boa, porque gostam do pão daqui", justifica a gerente Sandra Oliveira.
 
Com preços do quilo que variam de R$ 9,95 a 13,95, clientes já percebem a diferença. "A gente pagava mais barato", admite Ricardo Silvestre, que frequenta a padaria duas vezes por semana. Renata Fernandes diz-se fiel ao pão e continuará comprando o produto mesmo que encareça. "Porque é saboroso e me traz prazer reunir-se para tomar café com quem a gente gosta", afirma.
 
O calor humano e o atendimento diferenciado são justamente os atrativos usados por padarias para fidelizar clientes, explica o presidente do Sindicato das Indústrias de Panificação de Sorocaba, Paulo Bacelli. "Todo estabelecimento comercial tem de se preocupar com seu consumidor", justifica.
 
Bacelli diz que o preço do pão é liberal nas diferentes planilhas de custo em padarias da cidade. "O que acontece é que algumas fornecedoras conseguiram segurar o preço no momento delicado que foi o ano passado, mas, agora, acabaram os estoques", esclarece. Agora, é um efeito cascata, no qual todos recebem o repasse do preço. "As padarias terão de oferecer produtos promocionais para atrair clientes", sugere.
 
Para este 2017, Bacelli ainda não tem projeções de economia, mas reitera a intenção do setor. "A maior preocupação do panificador é fazer algo cada vez melhor e com mais qualidade."
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar