Sexta-Feira, 23 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< SOROCABA Vereadores e entidade prometem protestos durante votação

Publicada em 12/01/2017 às 06:38
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Os vereadores Fernanda Garcia (PSOL) e Renan Santos (PCdoB) posicionaram-se contra a proposta de reforma administrativa apresentada pelo prefeito José Crespo (DEM). Em nota, ambos afirmaram tratar-se de uma medida que não tem prioridade e respaldo econômico para a situação de Sorocaba. O Fórum Popular de Saúde também promete manifestar-se contra a proposta.
 
Em resposta ao DIÁRIO, o PSOL afirma: “O mandato da vereadora Fernanda Garcia (PSOL) respeita a determinação do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), extinguindo 158 cargos de confiança. Crespo, durante a campanha eleitoral, comprometeu-se em respeitar a decisão judicial, mostrando total desprezo com a população sorocabana”.
 
Outro ponto sustentado pela vereadora é o custo que os cargos comissionados devem gerar, cerca de R$ 1,5 milhão por mês, o que resultará em R$ 72 milhões ao fim dos quatro anos de mandato. “Com esse montante, seria possível investir de forma significativa na Educação Infantil”, justifica. “Esse dinheiro também poderia ser injetado em outras áreas sociais, como saúde, educação, mobilidade urbana, entre outras.”
 
O deputado estadual Raul Marcelo (PSOL) não tem direito a voto, mas também é contrário ao projeto de lei. “O político que venceu uma eleição – seja municipal, estadual ou federal – deve cumprir o que falou durante sua campanha. E o Crespo, em menos de duas semanas como chefe do Executivo, está mudando discursos e ações que prometeu à população sorocabana no ano passado”, explica.
 
Já o vereador Renan Santos (PCdoB) votará contra, pois acredita que o prefeito não tem como prioridade a solução de problemas antigos, como a saúde, e não teria real compromisso com a redução das despesas públicas. Em nota, Santos diz: “Não podemos permitir e aceitar uma proposta que não visa ao equilíbrio econômico das contas públicas e não prioriza as necessidades mais urgentes da população”.
 
O vereador acredita que a estrutura da Prefeitura conta com um corpo de servidores capacitado para atender às demandas, o que torna desnecessário e incoerente o aumento do número de comissionados ao município. “Apoiar a proposta é ser omisso com o desfalque das contas públicas”, explica.
 
PRESSÃO – O Fórum Popular de Saúde é contra o projeto que cria 185 cargos comissionados e estará hoje, a partir das 9 horas, na Câmara de Sorocaba, na Avenida Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes, 2.945, no Alto da Boa Vista, para pressionar os vereadores a votarem contra. 
 
Procurada para comentar o caso, a Prefeitura enviou nota, onde afirma: "A administração do prefeito José Crespo avalia que todos os vereadores têm o direito de votar contra ou a favor do projeto de reforma administrativa. Cada um terá suas razões. As do governo Crespo são atender à reivindicação popular que o elegeu, que é resgatar Sorocaba da crise econômica em que foi mergulhada. Não se faz mudanças em uma situação como essa sem a reorganização da Prefeitura e sem a colocação de pessoas dispostas a trabalhar nos lugares onde elas podem render mais e com menos investimentos. O prefeito José Crespo é um administrador experiente, maduro e consciente. Sua decisão expressa pelo projeto de reforma é uma demonstração de amor a Sorocaba e de carinho pelo povo local. A administração Crespo espera que os vereadores votem com a sua consciência e que pensem no bem do povo, que precisa urgentemente de saídas para tantos problemas e tanta penúria". 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar