Sexta-Feira, 24 de Maio de 2019 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA Gabinete de Leitura comemora 150 anos com série de eventos

Publicada em 11/01/2017 às 06:47
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Fernando Rezende)
O Gabinete de Leitura de Sorocaba celebra seu sesquicentenário com homenagens aos familiares de ex-diretores e palestra do professor Aldo Vannucchi, na sede localizada na Praça Coronel Fernando Prestes, 21, no Centro. O evento desta sexta-feira (13) começará às 20 horas e é o primeiro do cronograma de 2017, que contará com exposições e palestras.
 
Em visita ao DIÁRIO, Laor Rodrigues, Vani Laís Carvalho, João Brotas, Sílvio César de Góes Menino, Antônio Carlos Rubinato e José Rodrigues de Abreu conversaram sobre o legado histórico do Gabinete de Leitura e as expectativas com os membros que assumem a presidência da entidade no dia 28 deste mês.
 
A 45ª diretoria a presidir o Gabinete mantém o trabalho voluntário, sendo esta uma das dificuldades em continuar com a instituição ativa, de acordo com o empresário e sócio ativo mais antigo, Laor Rodrigues. “Dos 17 Gabinetes fundados no Estado de São Paulo, só sobreviveram o de Sorocaba e o de Jundiaí”, conta. Há cerca de 320 associados e a iniciativa privada é o que faz com que a entidade continue funcionando.
 
Outro obstáculo encontrado por Rodrigues é o advento da Internet. “Falta interesse das escolas em fazer com que os alunos vão ao Gabinete”, acrescenta o ex-presidente José Rodrigues de Abreu. O presidente eleito, Antônio Carlos Rubinato, acredita que é preciso parceria com as escolas para que os estudantes voltem a frequentar o local. “Ver através da Internet é uma coisa, mas você ter na mão algo de 150 anos atrás é apaixonante”, observa.
 
Rodrigues ainda reconhece que a importância do Gabinete não é mais a disponibilidade de consulta, mas, sim, o acervo. “É difícil manter uma coleção completa”, diz. Os membros comentam a existência de assinaturas de D. Pedro II e da família imperial, além de cartas de alforria de escravos. “Tudo passou por lá”, afirma Rodrigues, recordando-se da visita do ex-presidente do Brasil, Getúlio Vargas, em 1947.
 
O vice-presidente eleito, João Brotas, reforça os três princípios básicos vigentes desde que a instituição foi fundada, em 1867, oferecer entretenimento, incentivar a leitura e preservar a história. E para o atual presidente, Sílvio César de Góes Menino, o importante é que o Gabinete mantenha um lado humano e emocional e, por isso, mantém “um pé no freio” dos avanços tecnológicos presentes no local. “Nós queremos gente lá, e essa é uma luta constante”, conta.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar