Sexta-Feira, 24 de Maio de 2019 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA Vereadores fazem 'Arrastão na Saúde' e constatam precariedades

Publicada em 10/01/2017 às 06:38
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Vereadores da Mesa Diretora e da Câmara de Sorocaba estiveram na tarde desta segunda-feira (9) nas três Unidades Pré-Hospitalares (UPHs) da cidade, numa operação denominada “Arrastão na Saúde”, cujo objetivo foi identificar os problemas mais críticos no atendimento diário aos munícipes.
 
Junto com o presidente da Casa de Leis, vereador Rodrigo Manga (DEM), participaram das visitas de fiscalização o 2º vice-presidente, Luís Santos (PROS); o 3º vice-presidente, Hudson Pessini (PMDB), membro da Comissão de Saúde Pública da Câmara, o 1º secretário, Fausto Peres; o 2º secretário, João Donizeti (PSDB); o 3º secretário, Péricles Régis (PMDB); e o presidente da Comissão de Saúde, Renan dos Santos (PCdoB). 
 
Os vereadores iniciaram pela UPH da Zona Norte, onde pessoas aguardavam até seis horas pelo atendimento, num ambiente quente e lotado. Segundo o gestor administrativo da unidade, Francisco Alcoléa Neto, a UPH atende a uma média de 550 pessoas por dia e o tempo de espera por uma transferência chega a ultrapassar uma semana. “Temos atualmente 13 pessoas aguardando vaga para internação em hospitais”, informou.
 
Outros problemas detectados foram a ausência de dois dos cinco médicos que deveriam estar de plantão, a demora pelo resultado de exames – cerca de quatro horas –, a necessidade de manutenção no prédio e o fato de os medicamentos estarem no limite de fornecimento.  
 
Na Zona Oeste o movimento estava bem abaixo da média, que é de 200 crianças por dia; fato justificado pela coordenação pelo período de férias escolares. Já na UPH da Zona Leste, por onde passam diariamente cerca de 600 pessoas, a situação mostrou-se crítica com corredores e salas de espera lotados. “Aqui encontramos pessoas internadas há mais de uma semana, num local inapropriado, sentadas em cadeiras, esperando transferência e até a realização de exames, como tomografia, e tendo de comprar a própria alimentação”, reclamou o presidente da Comissão de Saúde. 
 
Diante do quadro verificado, o presidente da Câmara vai, juntamente com os demais vereadores, elaborar um relatório para ser entregue diretamente ao prefeito José Crespo (DEM), para que medidas emergenciais sejam adotadas a respeito. “A saúde de Sorocaba está na UTI, vamos unir uma força-tarefa para que mutirões sejam viabilizados o mais rapidamente possível, com a realização de consultas, exames e cirurgias. Só assim conseguiremos desafogar o sistema”, afirmou Rodrigo Manga.  
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar