Sábado, 19 de Agosto de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< COTIDIANO Brincadeira antiga, empinar pipa exige atenção e segurança

Publicada em 08/01/2017 às 08:10
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Agência Brasil)
Durante as férias, crianças, adolescentes e até mesmo adultos aproveitam uma das mais tradicionais atividades da infância, empinar pipa. Apesar de divertida, praticar esta brincadeira pode se tornar perigosa se não forem observados alguns cuidados básicos. 
 
Atenta à segurança da população e à qualidade do fornecimento de energia para seus clientes, a CPFL Piratininga alerta para o aumento de acidentes e de ocorrências na rede elétrica provocados pelas pipas no período de férias escolares. 
 
Um brinquedo inofensivo traz transtornos quando utilizado de forma inadequada, podendo provocar acidentes fatais e corte no fornecimento de energia. Muitas pipas ficam enroscadas nos fios e causam interrupções nos meses seguintes.
 
Isso ocorre porque a linha, enrolada nos cabos elétricos, torna-se condutora de energia quando chove. Para ter uma ideia da quantidade de casos, a CPFL registrou 1.072 ocorrências na rede entre janeiro e julho de 2016. Em 2015, foram 3.152 desligamentos. 
 
Desligamentos e acidentes causados pelas pipas poderiam ser evitados com certos cuidados. É importante escolher um local longe da fiação elétrica, como campos abertos e parques, fugindo de rodovias ou avenidas de intenso movimento, onde há risco de atropelamentos. 
 
A tentativa de resgatar uma pipa enroscada na fiação também pode provocar desligamentos de energia e causar acidentes com vítimas. O ideal é soltar o brinquedo longe da rede elétrica. Se acontecer de ficar preso em um fio, a melhor atitude é dá-lo como perdido.
 
Além disso, o uso do cerol - mistura de cola, limalha e vidro moído - ou da chamada “linha chilena”, deve ser evitado, por conduzirem eletricidade e, ao contato com a rede elétrica, aumentarem o risco de choques à população. 
 
Por conta do seu poder cortante, essas linhas podem romper os cabos da rede e provocar curtos-circuitos, e, ainda, colocar em risco a vida de ciclistas e motociclistas. No Estado de São Paulo, é considerado crime utilizar cerol.
 
 
Dicas básicas para que
a prática seja segura
 
* Empine pipas longe de rede elétrica, em locais livres, onde não exista nenhum tipo de cabo de energia, de serviço telefônico ou antenas de celular; isso evita acidentes e interferências na qualidade desses serviços; 
 
* Dê preferência a espaços abertos como praças, parques e campos de futebol, para usar o brinquedo. Evite também soltar pipas em canteiros centrais de ruas, avenidas ou rodovias, locais onde existe movimentação de veículos;
 
* Evite a utilização de “rabiolas”, pois elas agarram nos fios elétricos, desligando o sistema e provocando choques, muitas vezes fatais;
 
* Linhas metálicas não devem ser usadas no lugar da linha comum; nunca use cerol ou a linha ”chilena”, elas são proibidas por lei;
 
* Utilizar papel alumínio na confecção da pipa é perigoso, pois este material, em contato com os fios, provoca curtos-circuitos;
 
* Caso a pipa enrosque nos fios, é melhor desistir do brinquedo; tentar recuperar o brinquedo, enroscado em um cabo ou em postes, representa sério risco à vida, assim como a remoção da pipa com canos ou bambus; 
 
* Não solte pipas em dias de chuva e relâmpago; ela funciona como para-raios, conduzindo energia;
 
* Não se deve subir nas lajes das casas para empinar a pipa; qualquer distração pode causar uma queda;
 
* Tenha cuidado com ciclistas e motociclistas, pois eles não podem ver as linhas; linhas com cerol ou linha chilena podem causar acidentes graves com ciclistas e motociclistas;
 
* Recomenda-se a presença de um adulto responsável acompanhando as crianças quando estas estiverem utilizando o brinquedo.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar