Terça-Feira, 23 de Maio de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< EDITORIAL Uma tradição a ser revigorada

Publicada em 05/01/2017 às 06:59
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Ao contrário de tradições importadas de outros países, como o Halloween, festa americana em homenagem ao Dia das Bruxas e lembrada no Brasil por estudantes de escolas de idiomas, a cada ano vai diminuindo o número de paulistas que se interessam em comemorar a Folia de Reis, festa dos devotos católicos dedicada ao Menino Jesus e comemorada no dia 6 de janeiro. O Dia de Santo Reis ainda ocorre em Sorocaba, através de pessoas que não querem ver essa tradição da Igreja católica morrer, mas já foi bem mais forte antigamente. Nos tempos atuais, praticamente ela se restringe às reuniões familiares que ocorrem à meia-noite do dia 5 para o dia 6 de janeiro, quando uma ceia é servida aos familiares e amigos. 
 
Sabe-se que a Folia de Reis, termo que teve origem em Portugal, é um movimento de alegria que celebra a visita dos Reis Magos - Baltazar, Gaspar e Belchior - levando presentes e proteção ao Menino Jesus, em Belém. Trata-se de uma dança que sempre teve por finalidade divertir a população. Tradicionalmente, a Folia tem início na véspera do Natal e se estende até o Dia de Reis, em 6 de janeiro. Durante esse período, os grupos formados por cantadores e instrumentistas saem às ruas entoando versos para contar a história do nascimento de Jesus. A música, geralmente produzida por viola, sanfona, cavaquinho, pandeiro, triângulo e outros instrumentos, contribui para embalar os participantes, que saem à noite e muitas vezes só retornam no fim da madrugada. A bandeira decorada com motivos religiosos é o símbolo mais importante da Folia.         
 
O Dia de Santo Reis representa o final do período natalino. Neste dia 6 é quando as famílias geralmente desmontam os enfeites da árvore de Natal. Os enfeites natalinos têm o propósito de representar esse ciclo, que é Jesus Cristo trazendo nova vida e salvação ao mundo. 
 
Seria interessante que essa tradição pudesse se revigorar todos os anos, mas, infelizmente, não é o que vem acontecendo, principalmente por parte dos jovens, que não têm as mesmas raízes das pessoas mais idosas. Parece que as coisas estão mais difíceis em razão da falta de religião que realmente encante as pessoas. O que falta é justamente religião e preservação da cultura, porque, se as pessoas acompanharem a cultura ou lerem a Bíblia, vão estar em contato direto com as origens da Folia de Reis. Talvez, também esteja faltando mais incentivo para que essa tradição seja preservada como se deve.           
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar