Quinta-Feira, 29 de Junho de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< EDITORIAL Reflexões da virada do ano

Publicada em 29/12/2016 às 09:03
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Sabe-se que o réveillon é um rito de passagem que oferece possibilidade de mudanças e reflexões. Trata-se de um momento que tudo tem a ver com o nascimento. De repente, a criança está viva neste mundo e se adaptando a ele. O nascimento, portanto, é o símbolo de todas as transições e ensina a todos a ser sensíveis ao seu entendimento. Por isso mesmo, a reflexão necessária, associada ao réveillon, está ligada ao curso natural de todas as experiências da vida. 
 
Num momento como este, quando 2017 está prestes a se descortinar, entrando para a pauta de um novo tempo, é importante refletir sobre tudo o que se viveu no ano que vai chegando ao fim. Sempre é preciso refletir e falar, levando-se em conta que não raras vezes nossas atitudes deixam muito a desejar. Quantas vezes deixamos de estender a mão para as pessoas que estão ano nosso lado ou abandonamos nossos sonhos. Preferimos ficar quietos e fora da realidade. Não há como negar que, nos tempos atuais de um mundo dos mais conturbados, todos devem sair cada vez mais da comodidade e exercitar dois valores essenciais: a responsabilidade e a solidariedade. Responsabilidade para entender que não temos culpa por tudo que acontece de pior, mas que somos parte da solução. Solidariedade para percebermos que outras pessoas compartilham nossas ideias e aprendemos que juntos podemos realizar muito mais.                   
 
Na verdade, precisamos de uma revolução que não se dê pela ficção ou pelo discurso, mas pelo curso da realidade do dia a dia. Mais do que nunca é preciso ação. Para isso é necessário que todos estejam juntos para que tudo aquilo que estiver errado possa ser modificado. Muitas vezes, por mero desprezo ou ignorância, esquecem-se dos outros que estão do outro lado da rua e acabam contribuindo com o desenvolvimento da pobreza. Todo mundo fica mais preocupado em "fazer" dinheiro do que ajudar os necessitados. Como consequência disso, essas pessoas que não têm emprego ou dinheiro se veem obrigadas a pedir esmolas, a se prostituir, vender drogas e até roubar para conseguir sobreviver. E isso ocorre enquanto apenas uma minoria é afortunada de muito dinheiro. Pior ainda: ocorre enquanto muitos políticos roubam dos cofres públicos o dinheiro que poderia ser destinado para consertar a pobreza do País.                  
 
Portanto, levando-se em conta tudo isso, a reflexão de todos é de suma importância num momento como este, esperando-se que, com o envolvimento de todos, muita coisa possa ser mudada, principalmente erradicando-se do coração do homem a ganância, a inveja, o ódio e a indiferença.                       
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar