Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< EDUCAÇÃO Pais já procuram por material escolar

Publicada em 14/12/2016 às 08:56
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Fernando Rezende)
Com a chegada das férias, muitas escolas liberam a lista de material escolar e os pais aproveitam o período que antecede as festas de final de ano para pesquisar preço dos produtos e, até mesmo, comprá-los enquanto a loja encontra-se vazia e os itens não passam por reajuste. Com a decoração ainda tímida, em razão do Natal, data em que se comemora o nascimento de Jesus Cristo, algumas papelarias no Centro já estão vendendo material escolar.
 
A empresária Daniela Vicente prefere fazer compras para a escola no mês de dezembro, e não é por conta do preço, mas pelo pouco movimento que as lojas recebem. “Procuro material escolar assim que sai a lista, em janeiro é muito lotado e fica difícil de comprar, sempre venho em dezembro porque é mais vazio.” Para ela, o preço dos produtos teve um aumento significativo, e afirma que não vai reaproveitar material do ano anterior. “Subiu tudo, caderno, lápis de cor, canetinha, livros, está tudo muito caro. Sempre compro todo ano, não dá para reaproveitar porque meu filho acaba com tudo rapidinho.”
 
Apesar da crise econômica estabelecida no País, Daniela procura material escolar pela melhor marca, mesmo que, às vezes, precise pagar mais caro. “Nem sempre o melhor preço é melhor qualidade, aí não adianta”, explica. A empresária afirma que o filho, Felipe Vicente, 5 anos, gosta de comprar material escolar, e neste ano procura produtos com a estampa de um famoso jogo, chamado “Minecraft”. “Não tem muita coisa do 'Minecraft', mas ele leva de carrinho, o que tiver.”
 
Já a professora Juliane Bella dos Santos, que tem duas filhas, ainda não comprou material escolar e prefere deixar para janeiro. Ela afirma que já recebeu a lista e não percebeu diferença de preço. “Sempre compro em janeiro, como brasileira, deixo tudo para última hora. Notei que a lista de material diminuiu um pouco do outro ano para cá, mas acho que o preço é a mesma coisa”, diz. Juliane prefere manter um equilíbrio entre comprar do mais barato com o mais caro. “É mediano, nem a mais barata, nem a mais cara; sempre no meio-termo.”
 
De acordo com a vendedora Cristiane Santos de Oliveira, em razão da recessão econômica, muitos pais estão comprando o material escolar ainda neste mês. “Procuram mais do que procuravam antes. Antigamente, eles deixavam mais para depois das festas, mas, agora, a maioria dos pais está antecipando e comprando antes”, ressalta. Ela afirma que o preço depende do material, e alguns itens sofreram queda. “Pelo menos o que a gente vê aqui na loja, é que material básico, como borracha, está mais em conta. Tem alguns materiais que vieram mais em conta do que o preço em que estavam.”
 
Antigamente, muitos pais procuravam produtos pela marca, mas, atualmente, segundo Cristiane, preferem conciliar entre o mais em conta e o mais caro. “Eles querem conciliar o bom com o barato; às vezes, não querem o mais em conta, mas também não querem o mais superior, preferem um intermediário.”
 
Daniela ressalta, ainda, que a lista de material escolar para crianças mais novas exige mais e, por isso, acaba saindo mais cara. “Quanto menor a série, mais caro fica por causa da quantidade. Por exemplo, uma criança de dois anos não usa caderno, então se pede mais folha sulfite e outros tipos, porque fazem mais trabalhos com papel para criança. Lápis de cor para criança pequena também é um pouco mais caro.” A vendedora acredita que o preço deve ser o mesmo para a compra de material escolar, pois não há reajuste ainda neste mês.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar