Sábado, 19 de Agosto de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< POLÍTICA Sorocabanos vão ao Campolim contra a impunidade Nova manifestação organizada pelo grupo `Vem pra rua´ protestou contra desmandos políticos de Renan Calheiros e de deputados e a favor da ?Lava-Jato?

Publicada em 06/12/2016 às 09:01
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Miguel Pessoa)
Portando cartazes com os dizeres “Fora Renan” e gritando palavras de ordem também contra os deputados com assento no Congresso Nacional que tentam desfigurar o pacote de medidas contra a corrupção que castiga o Brasil e os brasileiros proposto pelo Ministério Público, centrando fogo principalmente no sorocabano Jefferson Campos (PSD), também pastor evangélico, agindo “na calada da noite” como diziam e em meio à consternação geral diante do acidente aéreo com os jogadores da Chapecoense, cerca de mil pessoas, de acordo com estimativas da Polícia Militar, ou 2 mil para os organizadores, também participaram de um ato em favor da “Operação Lava-Jato” na tarde do último domingo (4) em Sorocaba, na região do Parque Campolim. Prestando apoio também ao juiz Sérgio Moro, os manifestantes protestaram ruidosamente por mais de duas horas contra o Congresso e a corrupção vergonhosa no País.
 
Organizado pelo Movimento Brasil Livre (MBL), o protesto teve como pauta a cassação do senador Renan Calheiros (PMDB); o arquivamento do projeto de anistia de Caixa 2; o fim do Foro Privilegiado e dos super-salários ; o apoio ao texto original das Dez Medidas Contra a Corrupção – desfigurado pela Câmara na semana passada – e a “Operação Lava-Jato” ; e a prisão do ex-presidente Lula (PT).  De acordo com Rafael Sarti, do MBL, a avaliação do protesto foi positiva e novas manifestações ocorrerão ainda em 2016, “caso seja necessário”.
 
O protesto teve concentração iniciada por voltas das 16 horas na praça Carlos Alberto de Souza e seguiu em caminhada por volta das 17 horas pela avenida Antônio Carlos Cômitre, que teve sua pista sentido Centro interditada integralmente, até o prédio sede do Ministério Público Federal (MPF) e também da Justiça Federal, no antigo Shopping M.  Antes da caminhada, os manifestantes dedicaram um minuto de silêncio as vítimas do acidente com a delegação do Chapecoense, na Colômbia, e cantaram o Hino Nacional. Já durante a passeata, gritos como “Fora Renan”, “nossa bandeira jamais será vermelha” e até “Lula cachaceiro, devolva meu dinheiro” ecoavam fortemente a cada minuto. 
 
Além de Renan Calheiros, o nome do deputado federal Jefferson Campos (PSD) também foi lembrado bastante pelos manifestantes, que criticaram o seu apoio parlamentar à mudanças em pontos cruciais do pacote de 10 medidas contra a corrupção, em especial quanto à punição de juízes e promotores públicos que cometerem o que chamam de “abuso de autoridades”, descaracterizando totalmente a proposta do MP e enfraquecendo a Lava-Jato e outras investigações . “Ele foi um dos que votaram favoráveis às ações e emendas que intimidam os juízes e promotores”, destacava Sarti.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar