Terça-Feira, 12 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< ECONOMIA Black Friday lota comércio com grandes descontos Movimento moderado nas primeiras horas da megaliquidação desapontou alguns lojistas. Clientes pesquisaram mais na hora de comprar

Publicada em 26/11/2016 às 07:06
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Germano Schonfelder)
O comércio central ficou movimentado durante toda esta sexta-feira (25), assim como os shoppings da cidade, por causa da sexta edição nacional do Black Friday, dia em que as lojas oferecem descontos especiais aos consumidores. Em Sorocaba, as ofertas chegaram a 70% do valor original dos produtos, porém o evento foi marcado por movimento moderado nas primeiras horas da manhã e clientes mais espertos quanto às falsas promoções.
 
Com muitas lojas abrindo a partir das 7 horas, o movimento moderado durante o período da manhã, pelo menos, chegou a preocupar alguns gerentes de lojas.  Paulo Correia, gerente de uma loja de eletrodomésticos no Centro, contou ao DIÁRIO que esperava que o movimento aumentasse ao longo do dia. "Nós temos fluxo intenso o dia todo, porém de manhã estava um pouco mais calmo, mas a partir das 11 horas ele começou a crescer", comentou.
 
Apesar de ter aumentado ao longo do dia, o movimento decepcionou muitos gerentes de lojas que esperavam mais gente já nas primeiras horas do dia. Apesar de estar com um andar praticamente lotado de clientes, o gerente de uma grande loja de departamentos confessou igualmente que esperava mais. "O movimento nestas primeiras horas até que está bom, mas não está ótimo", lamentou.
 
Já o gerente de uma loja de calçados e artigos esportivos, Jeferson Gomes, estava igualmente um pouco decepcionado com o movimento durante a manhã. "Eu acho que ainda não pegou. Não sei se o povo está um pouco desconfiado, segurando um pouco, ou vai deixar para vir mais tarde", lamentava-se o gerente, acreditando que o fluxo mais forte estava nas lojas de eletroeletrônicos. "Eles tão comprando mais nelas porque o estoque é limitado", apostava Gomes.
 
MOVIMENTO NAS LOJAS DE VAREJO - Apesar de boa parte das lojas do Centro estarem com  placas e cartazes anunciando promoções de Black Friday, movimento forte mesmo só nas lojas de grandes redes de varejo, principalmente aquelas que vendiam eletroeletrônicos, onde era grande o acumulo de clientes, principalmente nos quiosques de smartphones e notebooks. Nestes pontos, a busca por um celular novo era grande, mas os consumidores também não deixaram de pechinchar. 
 
Nem o desejo de trocar de celular, nem as filas nas lojas fez a operadora de caixa Tamires Ferreira Costas, 19 anos, desanimar na hora de pesquisar o melhor preço. "Estou vendo como está os preços para saber se há Black Friday ou Black Fraude, como dizem", brincava a operadora de caixa, que pesquisou o preço do modelo de smartphone que queria na Internet para ter certeza de que tinha pego uma boa promoção. "Eu já fui em outras lojas para saber qual vai ter o preço mais acessível", reconheceu.
 
Se fosse levado pela conversa de vendedor, o eletricista Ivanildo Cesário de Lima, 51 anos, com certeza teria pago mais caro no modelo de celular que gostaria de adquirir. "Ele me disse que o preço era tabelado e que eu não encontraria mais barato, mas encontrei o mesmo aparelho aqui por R$ 50 a menos", relatou entusiasmado o eletricista, acompanhado da mulher Maria de Lourdes Leite Lima. O casal também aproveitou o evento para comprar panelas novas: "Está dando bastante diferença de uma loja para outra", destacou Maria Lourdes.
 
Apesar da busca por eletroeletrônicos ser maior, muitos consumidores não deixavam, por outro lado, de aproveitar o evento comercial de consumo inspirado nos Estados Unidos para fazer mercado. Enquanto muitos consumidores se amontoavam no quiosque de celulares de uma loja de departamentos, a vigilante Ana Paula Alves, 33 anos, aproveitava o Black Friday para compra de produtos de limpeza e alimentos, como doces, bolachas e sucos. "Eu vim mais para caçar mesmo e acabei comprando essas coisas", contava a vigilante enquanto esperava numa fila com três cestas de produtos. 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar