Sexta-Feira, 3 de Julho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< EDITORIAL Uma responsabilidade de todos os brasileiros

Publicada em 18/11/2016 às 23:49
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Apesar de ter passado quase que despercebido nos últimos dias, foi no dia 14 de novembro de 2014 que começaram a ser presos, envolvidos no maior esquema de corrupção já descoberto no Brasil, os primeiros executivos de oito das maiores   empresas brasileiras da construção civil. Entre elas estavam algumas das mais conhecidas, como a Andrade Gutierres, Galvão Engenharia, Queiroz Galvão, Mendes Junior, OAS e Odebrecht, cujos executivos acabaram aparecendo com destaque nas manchetes de todo o País. Antes disso, a "Operação Lava-Jato" já havia sido iniciada em abril daquele ano com a prisão do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa. 
 
Muito embora tivesse havido uma forte reação contrária, especialmente de políticos e dos escritórios jurídicos que representavam os acusados de pagar propina para fazer negócios com a Petrobras, numa tentativa de desqualificar a ação da Polícia Federal, as investigações nunca mais deixaram de ser intensificadas. O fato é que foi corajosa a forma de agir da PF e do Ministério Público Federal que, ao elegerem as empreiteiras como alvo, acreditavam atingir em cheio o foco do financiamento obscuro de campanhas eleitorais no País, algo que sempre se falou, mas nunca se provou.                      
 
De lá para cá, com a consistência de provas e argumentação jurídica para manter os envolvidos na cadeia, muita coisa veio à tona, inclusive com a condenação pelo juiz Sérgio Moro de muita gente graúda. Desde o início, os desdobramentos das investigações acabaram ganhando dimensões jamais vistas, principalmente durante a campanha presidencial. Posteriormente, por conta de todas as maracutaias descobertas, até a então presidente Dilma Rousseff acabou sendo definitivamente afastada do Palácio do Planalto neste ano.                 
 
É fato que a Polícia Federal tem tido carta branca para ir fundo nas investigações, mas isso não é suficiente para isentar os governantes e políticos de suas obrigações para que tudo seja apurado como se deve. É preciso continuar dando nomes a partidos e rostos a políticos que ao longo de tantos anos comandaram os esquemas de corrupção, tudo em prejuízo da sociedade  brasileira. 
 
As investidas que ainda agora se pretende contra as ações desenvolvidas contra todos os espertalhões precisam merecer uma atenção especial de todos os brasileiros. Ainda há muito o que fazer para passar o Brasil a limpo como se deve. A bandeira que continua sendo desfraldada, mostrando transparência e vontade política de colocar criminosos do colarinho branco atrás das grades, é uma responsabilidade de toda a Nação.                              
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar