Sexta-Feira, 3 de Julho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< CULTURA Arcebispo alerta comunidade católica para missas em latim ilegitimamente celebradas

Publicada em 18/11/2016 às 06:44
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A presença na cidade e na região de sacerdotes da chamada Fraternidade Sacerdotal São Pio X e a celebração de missas em latim conforme o rito tridentino em residências de famílias católicas de boa fé levaram o arcebispo metropolitano de Sorocaba, dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, a elaborar comunicado com oportunos esclarecimentos e orientações pastorais, alertando a todos para a questão. Ou seja, busca didaticamente, assim, esclarecer os fieis sobre a participação nas missas legitimamente celebradas segundo o rito de São Pio V e a situação canônica irregular da  Fraternidade Sacerdotal São Pio X, fundada pelo arcebispo francês, já falecido, Marcel Lefebvre.
 
Lembrando que os papas João Paulo II e Bento XVI autorizaram o rito de São Pio V, popularmente apresentado como missas em latim também, e que em Sorocaba, na igreja de Santa Rosália, tem sido semanalmente celebrada sob a presidência do padre Reinaldo Barbosa, “de forma digna e frutuosa para muitos”, o Arcebispo diz que é necessário esclarecer que de forma alguma, porém, tal iniciativa deve ser interpretada como aceitação das motivações que deram origem à Fraternidade Sacerdotal São Pio X que, em nome da Tradição, “recusa as orientações do Concílio Vaticano II, inclusive ensejando críticas  ao papa Francisco, como aos seus antecessores”.
 
Tendo notícias de que em Sorocaba um grupo já se reúne – e também participa em São Paulo de encontros na FSSPX –, “difundindo a rejeição ao Concílio e ao Magistério recente dos papas sobre sua aplicação”, dom Eduardo Benes deixa claro nesse comunicado, então, que mesmo tendo o papa Bento XVI retirado a excomunhão em que incorreram dom Marcel Lafebvre e os quatro bispos por ele ordenados sem mandato apostólico, deixou claro que os ministros da FSSPX “não exercem de modo legítimo qualquer ministério na Igreja”. “:Os membros da Fraternidade continuam membros da Igreja católica, mas em situação irregular e, portanto, não exercem seus ministros de modo legítimo qualquer ministério na Igreja. Assim sendo, os católicos em plena comunhão com o Papa não podem legitimamente participar de suas celebrações e catequeses”.
 
ATITUDES PASTORAIS – À Arquidiocese, diante da situação que se faz presente por aqui presentemente, dom Eduardo Benes recomenda três atitudes pastorais então: 1. Seria oportuno que, em Sorocaba, mais duas paróquias, pelo menos, oferecessem aos fieis essa possibilidade, pelo menos uma vez por semana, depois de uma catequese sobre o rito de São Pio V e sobre o Concílio Vaticano II, em especial sobre seu documento  “Sacrossanctum Concilium” e sobre a reforma dos ritos litúrgicos por parte da autoridade da Igreja. 2. Com caridade esclarecer aqueles que estão participando da Fraternidade Sacerdotal São Pio X que estão em estado de desobediência à Igreja e mostrar o valor do Concílio Vaticano II, mostrando que abusos havidos em sua aplicação não invalidam seu rico conteúdo e seu significado para a vida da Igreja e sua missão. 3. Intensificar a catequese sobre a Eucaristia, valendo-se dos últimos documentos da Igreja, desde Paulo VI  até o papa Bento XVI, cujos pontificados foram fecundos em documentos sobre a Eucaristia.
 
“Orar pela unidade da Igreja e celebrar a Eucaristia de tal modo que seja realçado o mistério celebrado é dever de todos nós”, encerra o arcebispo.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar