Segunda-Feira, 17 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA Sessão relâmpago marca aprovação do Orçamento 2017 é em primeira discussão

Publicada em 04/11/2016 às 06:22
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Numa sessão relâmpago que durou apenas alguns minutos, já que era a única matéria constante da pauta da `ordem do dia´, foi aprovado pelo Legislativo sorocabano nesta quinta-feira (3), em primeira discussão e com 65 emendas parlamentares, o projeto encaminhado à Câmara pelo prefeito Antônio Carlos Pannunzio (PSDB) estabelecendo o orçamento do Município para o ano que vem, o primeiro da gestão do prefeito eleito José Antônio Caldini Crespo (DEM), que toma posse a 1º de janeiro. A peça orçamentária do Município para 2017 é estimada em R$ 2,880 bilhões, já as emendas parlamentares aprovadas ontem, em primeira discussão na Câmara, somam R$ 12.250.380,00. O valor de emendas por vereador, dentro do Orçamento Impositivo, é de R$ 1.279.550,00. 
 
No total, foram apresentadas para esta primeira discussão 69 emendas pelos vereadores, sendo que apenas quatro delas receberam parecer contrário da Comissão de Economia, Finanças, Orçamento e Parcerias da Casa, presidida pelo vereador Gervino Cláudio Gonçalves (PR) e integrada ainda por Rodrigo Manga (DEM) e Anselmo Neto (PSDB). Logo no início das discussões, Cláudio do Sorocaba I pediu a aprovação em bloco das emendas com parecer favorável e o arquivamento das quatro rejeitadas - mas que poderão ser reapresentadas em segunda discussão, após adequações pelos autores, os vereadores Jessé Loures (PV), estabelecendo melhorias na iluminação pública da cidade; Wanderlei Diogo (PRP), construção de quiosque em quadra poliesportiva; José Francisco Martinez (PSDB), recursos ao Fundo de Apoio ao Desporto Amador de Sorocaba, e Izídio de Brito (PT), revitalização de área pública entre o Jardim Guaiba e o Jardim Maria Antônia Prado, na Zona Norte.  
 
Com a aprovação do projeto e emendas em primeira discussão, inicia-se nesta sexta-feira (4) e segue até o dia 10, quinta-feira próxima, o prazo para que os vereadores apresentem novas emendas em segunda discussão. 
 
DESTAQUE À SAÚDE E ASSISTÊNCIA SOCIAL - Entre as áreas mais contempladas nas emendas aprovadas em primeira discussão com o orçamento de Sorocaba para o ano que vem, estão verbas para atendimento à saúde e subvenção à assistência social, destacando-se recursos destinados ao atendimento oncológico e pediátrico, bem como à subvenção a entidades que se dedicam ao atendimento de pessoas com deficiência física ou mental. Áreas como meio ambiente, urbanismo, cultura e desporto, entre outras, também foram igualmente contempladas. 
 
Tiveram emendas aprovadas os vereadores Anselmo Neto (PSDB), com nove emendas, num total de R$ 1.279.775,00; Carlos Leite (PT), com nove emendas, num total de R$ 1.009.775,00; Francisco Moko Yabiku (PSDB), com oito emendas (R$ 1.229.550,00); Hélio Godoy (PRB), com uma emenda (R$ 100.000,00); Izídio de Brito Correia (PT), com cinco emendas (R$ 1.229.550,00); Jessé Loures (PV), com duas emendas (R$ 1.229.550,00); José Francisco Martinez (PSDB), com cinco emendas (R$ 1.229.550,00); Muri de Brigadeiro (PRP), com duas emendas (R$ 1.229.530,00); Rodrigo Manga (DEM), com seis emendas (R$ 1.279.550,00); Waldecir Morelly (PRP), oito emendas (R$ 1.204.000,00); e Wanderley Diogo (PRP), com nove emendas (R$ 1.229.550,00).
 
Novas emendas começam a ser, então, apresentadas hoje (4), incluindo aquelas dos vereadores que optaram por não apresentar emendas na primeira discussão. De 11 a 21 de novembro, a Comissão de Economia dará parecer a essas emendas. Em 29 de novembro, o projeto será votado em segunda discussão e, no dia 8 de dezembro, em definitivo, como matéria de redação final.
 
 
Vereador pede informações sobre
orçamento destinado à Santa Casa
 
O vereador Fernando Dini (PMDB), em requerimento também apresentado ao Legislativo nesta quinta-feira (3) e endereçado ao Governo Pannunzio, está solicitando informações à Prefeitura sobre o orçamento que é destinado à Santa Casa de Misericórdia. "Gostaríamos de saber qual é a verba que será destinada para o atendimento da saúde ao sorocabano e verificar se ela será suficiente para dar conta de toda a demanda que temos na área", justifica.
 
Através de requerimento, Dini solicita as planilhas de 2016 e de 2017. "Queremos ter o conhecimento também de onde será retirada a dotação orçamentária referente à provável diferença entre os valores de cada ano. Temos que zelar para que a prestação de serviço à Saúde, tão fundamental para a cidade, não seja só a melhor possível, como também prioritária na próxima gestão", finaliza.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar