Sexta-Feira, 3 de Julho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< EDITORIAL Renovação desejada

Publicada em 31/10/2016 às 07:13
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Os resultados abstraídos das urnas no primeiro e segundo turnos das eleições municipais, encerradas ontem (30), sintetizaram o sentimento dos sorocabanos em optar pela renovação dos quadros políticos. Guiados pelo desejo de mudar algumas práticas há muito inseridas no cotidiano político de Sorocaba ou pela simples motivação de mudança nos estilos de governança, os eleitores optaram por eleger o candidato José Crespo (DEM) para o Palácio dos Tropeiros, fazendo valer o preceito de soberania que rege o estado democrático e, por meio do voto, emitiram um claro sinal de que realmente almejam ares novos para a política sorocabana.  
 
Naturalmente ainda é cedo para se fazer uma análise mais apurada sobre os resultados das eleições, mas, de imediato, não há como negar que a disputa de Crespo com Raul Marcelo foi das mais acirradas e definida só nos últimos dias. Ao mesmo tempo que venceu o pleito, o representante do DEM também colocou um paradeiro nas sucessivas administrações do PSDB, comandadas por Vitor Lippi e Antônio Carlos Pannunzio. Quer queiram ou não, Crespo, que há vários anos vinha tentando chegar ao Palácio dos Tropeiros, começa a escrever uma nova página da história política da cidade, tudo indicando que, a partir do dia 1º de janeiro de 2017, também deverá ter uma maioria tranquila na Câmara Municipal para lhe dar sustentação política.
 
Neste momento, há que se enaltecer, também, o trabalho desenvolvido pela Justiça Eleitoral de Sorocaba, os mesários que trabalharam nos dois turnos das eleições e a extrema relevância da participação organizada da sociedade no pleito deste ano. Ao eleitor coube assimilar o entendimento de que o exercício da cidadania na escolha de seus representantes sobrepõe o simples ato de comparecimento obrigatório às urnas. 
 
Da mesma forma, sempre é de fundamental importância o papel de agente participativo e fiscalizador que deve continuar sendo cumprido de forma plena, efetiva e contínua por meio dos canais criados para assegurar, hoje e sempre, a mais ampla transparência no exercício das atividades públicas. Todo mundo deve estar permanentemente atento a tudo, já que o desinteresse e a omissão sempre tornam mais distantes as soluções dos principais problemas enfrentados pela população.   
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar