Sexta-Feira, 19 de Julho de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< SOROCABA Após 55 anos de internação, sorocabano volta a sua terra

Publicada em 25/10/2016 às 05:24
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Ele começou a trabalhar na lavoura aos 12 anos. Na casa dos 20 e poucos, tornou-se ajudante de pedreiro e na profissão ficou até 1961. Frequentou quatro anos escolares; lê e escreve. Foi ainda no início dos anos 60 que se casou. Levava uma vida normal. Esse poderia ser o início da história de um homem que constituiu família, teve filhos e, hoje, senta-se à mesa com netos e bisnetos para celebrar as datas mais importantes do ano.
 
É parte de uma história, com certeza, mas o script muda em 1961 quando ele, José Santiago, é internado com alteração de consciência, desorientação e outros sintomas no Hospital Psiquiátrico do Juqueri, em Franco da Rocha, na Capital paulista. Um dos mais antigos e maiores complexos psiquiátricos do País, seus muros e paredes guardam emoções de todo tipo e histórias que, até hoje, continuam sem um final.
 
Após episódios de transtornos psiquiátricos que o levaram, inclusive, a ser internado no antigo Instituto de Higiene Mental de Sorocaba “Dr. Luiz Vergueiro” no final da década de 50, a vida não foi mais a mesma e seu destino final foi o Juqueri.
 
Hoje, aos 89 anos, Santiago vai retornar onde sua história começou, no dia 21 de janeiro de 1927, data de seu nascimento, em Sorocaba. Nesta terça-feira (25), ele deixa o Complexo Juqueri e volta a viver em Sorocaba em uma Residência Terapêutica mantida pela Secretaria da Saúde.
 
Este senhor que fala pouquinho, tem passos lentos, vai reencontrar a família – irmã e sobrinhos – na casa em que passa a dividir com outros pacientes advindos do programa de desinstitucionalização. Mais que uma casa, Santiago retoma sua dignidade para viver em liberdade. Poderá, agora, receber a visita dos parentes que não tinham condições de ir vê-lo em São Paulo, mas que, de acordo com a supervisora da Área da Saúde Mental, Renata Scudeler, estão emocionadas ao saber que ele está voltando.
 
Quando chegar à RT Barão, por volta das 14 horas, seus novos companheiros terão preparado um café da tarde com direito a bolo. A recepção é para indicar que, daqui em diante, ele contará com uma nova família.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar