Sexta-Feira, 3 de Julho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< EDITORIAL A democracia que se espera

Publicada em 02/09/2016 às 07:22
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Num momento como este, quando o Brasil vira uma página das mais importantes de sua história política, nada é mais oportuno do que afirmar que a democracia brasileira precisa de urgentes aperfeiçoamentos. Antes de mais nada, é preciso dizer que democracia não é assumir o governo e "fazer o diabo" para se reeleger a qualquer preço com o objetivo de se locupletar permanentemente das vantagens e benesses que o poder proporciona. Se por um lado paramos de aperfeiçoar e fortificar a democracia, por outro lado existe um mundo de acéfalos que a contaminam com ações voltadas para o poder político partidário e para seus interesses particulares. 
 
Num ano de eleições como este, seria importante substituir "a conversa fiada" que todos estão cansados de ouvir por um contrato assinado e homologado pela justiça eleitoral, com cláusulas de penalidades e rescisão, em caso de descumprimento. Se isso já existisse há mais tempo, com certeza a ex-presidente Dilma Rousseff poderia ter evitado a sua queda do poder. O pior lhe aconteceu não apenas por algumas pedaladas e decretos orçamentários inconsequentes, mas, principalmente, por todas as mentiras que pregou durante a campanha eleitoral de 2014 e pela corrupção desenfreada que tomou conta do governo e do País, como a Operação Lava-Jato não para de trazer à tona. Por falta dos bilhões que uns e outros levaram é que milhares e milhares de pessoas morrem por falta de assistência médica, alimentação e segurança.                       
 
Dilma deu-se mal justamente por que nos últimos dois anos quis fazer o povo acreditar que a onda de corrupção em todos os meios do poder, a recessão, o desemprego de 12 milhões de brasileiros, a perda da credibilidade no exterior,  o rombo nas contas públicas e a inflação galopante não foram resultado de suas mentiras e inépcia, mas por causa de uma conspiração para sua derrubada do Palácio do Planalto. E até o final de seu mandato, na quarta-feira (31), ela e sua tropa de choque fizeram questão de continuar repetindo as mesmas coisas, como se a população não tivesse capacidade para discernir o que é verdade e o que é mentira. 
 
Daqui para frente, esperando-se que a atmosfera política seja um pouco mais favorável, o que os brasileiros precisam é ajudar a descontaminar a democracia dos piores vírus que existem. Hoje em dia, qualquer partido político é um produto vencido e adulterado. O político ainda consegue vendê-lo porque a urna eleitoral é o único local para comprá-lo. De dois em dois anos, todo mundo é obrigado a votar defrontando-se com os mesmos produtos eternamente vencidos.    É isso que se espera para que a verdadeira democracia possa prosperar no Brasil. 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar