Sexta-Feira, 3 de Julho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< EDITORIAL Novas alternativas para o País

Publicada em 26/08/2016 às 07:08
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Em momentos de dificuldades o que vale é a coragem de aceitar os desafios. O importante é fazer o que deve ser feito para que os problemas possam pesar menos nos ombros de todos, principalmente no que diz respeito à tranquilidade que os trabalhadores devem ter para continuar produzindo a riqueza nacional. Com crise ou sem crise, com Dilma Rousseff ou Michel Temer, o fato é que o Brasil vai continuar seguindo o seu curso. 
 
Agora que todos estão cientes e conscientes sobre a situação, não importa ficar discutindo o tamanho das dificuldades que ao longo do ano deverão estar ao lado dos brasileiros. O que importa é que sejam adotadas medidas firmes para que a travessia deste período possa ser feita de maneira a não causar tantos danos e traumas à população em geral. 
 
O desafio para quem vai continuar à frente do Palácio do Planalto é fazer de tudo para livrar o País de tropeçar nas próprias pernas. Se não é de hoje, por exemplo, que todos sabem como o sistema tributário é escorchante, o que o governo tem de fazer de imediato é possibilitar, de maneira abrangente, um alívio para todos os setores produtivos e para os contribuintes em geral. O mesmo deve ser feito sem mais perda de tempo com as taxas de juros que seguem penalizando a todos. Estes são dois dos fatores que mais contribuem para o agravamento da crise.
 
Da mesma forma, os empresários devem recorrer a todos os meios disponíveis para evitar a demissão de trabalhadores e o comércio deve inovar seus métodos com adaptações e adequações necessárias, procurando, inclusive, canais alternativos de vendas antes desprezados. Para cada caso específico, a criatividade é que se impõe com ações mais apropriadas. Via de regra, a acomodação acaba se transformando numa grande inimiga, já que não permite o surgimento de novas estratégias destinadas a movimentar as vendas e a produção. É dessa forma que os problemas, sejam eles quais forem, devem ser encarados. A sabedoria, o bom senso, o trabalho, a criatividade e a determinação é que devem prevalecer quando as dificuldades surgem espalhando incertezas entre todos. 
 
Não se pode esquecer que desemprego, jornada de trabalho, redução de salários, falta de oportunidades para o jovem trabalhar, tributos e juros excessivos fazem parte de um sistema que deve ser visto como expressão de esgotamento de um ciclo, que não consegue mais superar as necessidades dos tempos modernos. O que falta, na verdade, é todo mundo se mexer um pouco mais da porta para fora. O processo econômico não é algo estável, mas superdinâmico. E é dessa forma que deve ser visto pelos governantes, políticos, empresários, comerciantes, trabalhadores, enfim, por toda a sociedade brasileira. Se cada um fizer a sua parte, certamente não vai demorar tanto para o Brasil sair da situação de paralisia em que se encontra.   
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar