Quinta-Feira, 9 de Julho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< AGENDA CULTURAL Roberto Carlos traz voz, carisma, amor e toda a emoção a Sorocaba em setembro Venda de ingressos on-line começa nesta segunda-feira, dia 1º de agosto

Publicada em 30/07/2016 às 06:54
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Divulgação)
O cantor Roberto Carlos presenteia os fãs que estiverem em Sorocaba no dia 3 de setembro, quando se apresenta no Clube União Recreativo. Artista que dispensa apresentações, o ídolo da canção latino-americana está de volta à cidade, que sempre o recebe calorosamente. É um exemplo do sucesso mundial da música popular brasileira.
 
Homenageado em novembro de 2015 pelo Grammy Latino como personalidade do ano, Roberto Carlos lançou o CD “Primeira Fila”, gravado em Londres, no Estúdio Abbey Road, despertando todo o carinho e admiração nos milhões de fãs que o acompanham pelo Brasil e pelo mundo. É, ainda, um ícone de credibilidade, romantismo, religiosidade e família. 
 
Em Sorocaba, o rei promete mais uma vez arrebatar os admiradores com show impecável, ao lado de sua orquestra e coral. A venda on-line de ingressos começa nesta segunda-feira, dia 1º de agosto, e segue até sexta-feira (5), pelo site (eventim.com.br); contudo o interessado pode adquirir, a partir do dia 6, nas unidades do Clube União Recreativo. 
 
CARREIRA – Roberto Carlos nasceu em Cachoeiro do Itapemirim, cidade do Espírito Santo, e começou a cantar na rádio aos 9 anos de idade. Na juventude, sua família mudou-se para o Rio de Janeiro, onde ele formou com amigos da escola o conjunto vocal The Sputnicks; depois, foi para o grupo The Snakes, com a presença de Erasmo Carlos, seu parceiro. 
 
O artista passou a se apresentar em clubes e festas, tanto sozinho como no grupo e, aos poucos, estava na televisão, no programa “Clube do Rock”, quando foi anunciado ao público como o “Elvis Brasileiro”, ao cantar “Jailhouse Rock”. Ele também cantava na boate do Hotel Plaza, seguindo a linha Bossa-Nova, de João Gilberto, enquanto artista iniciante. 
 
Sua primeira gravação foi em 1959 pela Polydor; já em 1960, gravou um novo disco de 78 RPM e, com o primeiro LP, a música “Louco por Você” estourou rapidamente. Com aparições frequentes em programas da TV, começava ali um caminho de sucesso. Em 1963, com o lançamento de “Splish Splash”, torna-se um dos mais populares da época. 
 
O ano seguinte é marcado pelo lançamento de “É Proibido Fumar”, cheio de canções que se tornariam clássicos da música brasileira, como “O Calhambeque”. Com a explosão mundial de os Beatles, o rock estava chegando ao Brasil, manifestando-se através de um movimento que o colocaria pela primeira vez no trono de rei, a Jovem Guarda. 
 
Tendo a companhia dos amigos e parceiros Erasmo Carlos e Wanderléa na linha de frente da Jovem Guarda, Roberto Carlos ditava a moda, inspirando roupas e adereços utilizados pelos jovens brasileiros. Em 1967, a Jovem Guarda atingiu o auge e a dupla Roberto-Erasmo, definitivamente, era consagrada e referência para os jovens. 
 
Entre os países, Roberto chegou à França, apresentando-se no Midem, em Cannes, e da Itália, voltou vencedor do Festival de San Remo, quando defendeu a música “Canzone per te”, de Sérgio Endrigo e Bardotti. Foi o primeiro estrangeiro a conseguir essa façanha. O ano seguinte, começou com o lançamento de “Roberto Carlos e o Diamante Cor de Rosa”. 
 
Musicalmente, Roberto já não estava mais em ritmo de aventura. Seu amadurecimento como compositor e intérprete começava a ficar evidente no novo álbum. Músicas como “Sua estupidez” e “As curvas da estrada de Santos” são de uma prévia do Roberto romântico das próximas décadas.
 
O ano de 1970 foi marcado com a estreia de um supershow “Roberto Carlos a 200 km por hora”, na maior casa de espetáculos do Rio de Janeiro. Quando lançou seu terceiro filme, “Roberto Carlos a 300 km por hora”, o rei virava ídolo também no exterior, principalmente nos países de língua latina. 
 
Em 1974, gravou o primeiro especial de Natal para a Rede Globo de Televisão. Inaugurava ali uma tradição que se repete até hoje, sempre com a participação de convidados especiais, mostrando que o Rei sempre teve muito mais que um milhão de amigos. Ele foi o primeiro artista a atingir a marca de mais de um milhão de discos vendidos. 
 
A década de 70 reservaria ainda mais dois momentos importantes, que foi sua campanha em prol do Ano Internacional da Criança, através da Rede Globo, quando foi um sucesso com a música “Amigo”, que serviu de tema para a vista do papa São João Paulo II ao México, cantada por um coro de crianças em transmissão ao vivo para todo o mundo. 
 
Com suas músicas regravadas por artistas, como Júlio Iglesias e Ray Conniff, Roberto finalmente grava um LP totalmente em inglês. Em 1983, com uma equipe de 110 pessoas, ele faz o Projeto Emoções, percorrendo 18 cidades de 14 Estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. 
 
Nos anos 90, Roberto Carlos consolidou o sucesso com turnês nacionais e internacionais, assim como lançamentos em discos com recordes de venda. Em 2001, deliciou seu público com a gravação de seu disco acústico MTV. Ele recebeu, ainda, em 2002 do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a comenda Ordem do Mérito Cultural na classe de Grã-Cruz. 
 
Em 2005, iniciou o Projeto Emoções em Alto-Mar, um cruzeiro anual pela costa brasileira em um sofisticado transatlântico, onde o artista reúne seus admiradores, amigos e jornalistas e se apresenta em show intimista em todas as noites. Esse cruzeiro tornou-se referência em turismo náutico diferenciado.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar