Quinta-Feira, 9 de Julho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< AGENDA CULTURAL Espetáculo questiona a vida da população negra

Publicada em 22/07/2016 às 06:35
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Dando continuidade à programação de julho do programa “Coletivações”, o Sesc Sorocaba, em parceria com o Grupo Trança de Teatro,  apresenta nesta sexta-feira (22) e sábado (23), sempre às 20 horas, a montagem “Corpo notícia: Relatos sobre o amor e a violência”. A peça traz à tona uma série de questionamentos acerca da vida e da morte da população negra no Brasil, trançando uma viagem por estórias que partem da celebração do nascimento de filhos e filhas negros, suas memórias e anseios de trilhar caminhos prósperos. 
 
Ativo desde 2011, o Grupo Trança aborda a temática afro-brasileira em sua arte motivado pelo desejo de compreender a função e o lugar do artista negro numa sociedade que impõe um racismo intenso e perpetuado, onde valores éticos e humanos tomam proporções distintas. O grupo tem o intuito de, mais do que mostrar um produto para o público, apresentar questões para serem refletidas. 
 
Os ingressos custam R$ 5,00 (Credencial Plena - Trabalhador do Comércio de bens, serviços ou turismo matriculado no Sesc e dependentes), R$ 8,50 (Meia-entrada para estudantes, servidores de escola pública, pessoas com mais de 60 anos,  aposentados ou deficientes) e R$ 17,00 (Inteira).
 
BATE-PAPO - Também amanhã (23), por outro lado, acontece ainda no Sesc o bate-papo “O que chamamos de teatro negro”, visando discutir o que é o teatro negro. Contando com a presença de Angelo Flávio, Raphael Garcia, Marco Antonio Fera e Clarice Santos, do Grupo Trança de Teatro, no encontro serão realizadas discussões para contribuir e fomentar ações que apresentem a imagem do teatro negro brasileiro como protagonista de sua história e cultura. Também será debatida a dramaturgia utilizada para retratar a história do teatro negro no Brasil, calçada na imagem do negro de máscaras brancas submetido a papéis de serviçais e ao fetichismo relacionado à sexualidade. 
 
O bate-papo será às 16 horas e os interessados em participar devem retirar os ingressos com 1 hora de antecedência na Central de Atendimento, à rua Barão de Piratininga, 555, no Jardim Faculdade. 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar