Sexta-Feira, 3 de Julho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< EDITORIAL O valor dos seres humanos

Publicada em 13/07/2016 às 05:00
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Muitas vezes, de forma extremamente equivocada, os governantes entendem que o socorro emergencial à população carente, notadamente aquela que mora debaixo de pontes, em favelas ou bairros mais pobres, é o caminho mais adequado para melhorar as perspectivas de vida de tanta gente que trava uma dura batalha contra as adversidades. É claro que agasalhos, cestas básicas, remédios e dinheiro sempre contribuem para resolver problemas que não podem ficar para depois. Não raras vezes, esse tipo de oferta é de fundamental importância para quem está na pior. O que os governantes não levam em conta, porém, é que só isso não basta, sendo necessário muito mais para que haja uma interferência positiva na consciência e no modo de vida das pessoas mais humildes. Antes de mais nada, é imprescindível mostrar a esses contingentes mais sofridos da sociedade os seus direitos enquanto cidadãos e seus valores enquanto seres humanos.  
 
Neste particular, em Sorocaba, não resta dúvida de que a administração municipal, através de uma série de atividades que valorizam o ser humano, está no caminho certo para recuperar o amor próprio de quem reside nos bairros mais problemáticos e distantes da área central da cidade. Com a realização de uma série de ações nessas localidades, o poder público tem procurado resgatar a confiança das comunidades mais pobres, proporcionando a elas um atendimento eficaz no sentido de sua valorização.       
 
O que vem sendo feito pelo poder público municipal em muitos bairros, com o desenvolvimento de todos os tipos de atividades, é de suma importância para fortalecer as pessoas dentro do contexto familiar, social e educacional. Nunca é demais lembrar que, quando alguém vive em condições precárias e sem estímulos, tende ao conformismo e à inércia - quando não se revolta, julgando-se incapaz de melhorar de vida. É por isso que uma eventual ajuda material, de curto alcance, não vai além do efeito paliativo. Quando uma pessoa se acostuma a ganhar isto ou aquilo, geralmente deixa de batalhar por melhoras, ficando sempre na esperança de que alguém faça alguma coisa por ela. 
 
Ao levar para os bairros mais problemáticos uma série de programas e projetos, com ações em bloco voltadas para as áreas de educação, lazer e esporte, proporcionando os mais variados cursos de formação e capacitação profissional para jovens e adultos, além de aulas que focalizam questões étnico-raciais, cidadania e muito mais, é evidente que a administração municipal só pode estar no caminho certo, merecendo contar com a colaboração de todos os segmentos sociais.
 
Mesmo sabendo-se que só a longo prazo é que muitas ações socioeducativas alcançarão resultados compensadores, o importante é que elas não sejam interrompidas e possam, inclusive, ser estendidas a todos os bairros da cidade. É o que se espera em benefício de tanta gente que precisa incorporar as mudanças e sonhar com algo melhor. 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar