Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< SAÚDE Cidade tem queda de casos graves de gripe O número de mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave soma 39 e 11 estão associadas à A H1N1

Publicada em 12/07/2016 às 06:08
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Secom)
Terminada a campanha de vacinação contra a gripe, em que 184.584 pessoas foram imunizadas, a cidade começa a registrar queda nas notificações de Síndrome Respiratória Aguda Grave. Segundo balanço divulgado ontem pela Secretaria da Saúde, o número de óbitos por essa síndrome soma 39, dos quais 11 estão associados ao Influenza A H1N1.
 
O total de notificações de Síndrome neste ano em Sorocaba chegou a 204 casos, dos quais 41 foram confirmados para Influenza A H1N1; outros 128 foram descartados e 35 aguardam resultados de exame. Ainda conforme a pasta, 27 mortes foram descartadas para Influenza e uma aguarda liberação de resultado pelo Instituto Adolfo Lutz.
 
A chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica da pasta, Renata Guida Caldeira, explica que em 2015 foi registrada baixa circulação do vírus Influenza, sobretudo do H1N1. “Tivemos 54 notificações e dois casos confirmados para Influenza A H3N3.” Quanto ao número de mortes por Síndrome, no ano passado, foram 12, uma por A H3N2 e 11 por síndrome respiratória não especificada. 
 
Os casos de Síndrome confirmados por Influenza A ocorreram em todas as faixas-etárias, com maior prevalência, 61%, na população de 20 a 59 anos, seguida nos menores de 19 anos (22%) e em menor número nos maiores de 60 anos (17%). O diferencial neste ano foi o maior número de casos de H1N1 em relação a 2015. 
 
Renata explica, ainda, que, durante o período de vacinação, a pasta registrou queda expressiva no número de notificações e de positividade para Influenza. “Isso se deve tanto pelo pico da doença ter sido antecipado neste ano, mas à queda maior agora, devido às ações de vacinação para imunizar contra os vírus.”
 
A campanha de vacinação encerrou-se oficialmente no dia 17 de junho. O município atingiu a meta de imunizar ao menos 80% do público de risco. Em alguns grupos, o índice de cobertura passou de 100%. De acordo com a pasta, embora a campanha tenha terminado, nas UBSs as doses ainda estão disponíveis aos grupos de risco.
 
A chefe da Divisão explica que algumas medidas simples de prevenção devem ser mantidas, sobretudo, durante o inverno, para evitar o contágio de gripe. Entre elas, destacam-se cobrir o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, lavar as mãos com água e sabão ou, então, usar álcool em gel. 
 
Renata ressalta que todas as UBSs estão preparadas para atender aos casos de doenças respiratórias, conforme protocolo instituído pelo Ministério da Saúde. A recomendação da pasta é que o munícipe procure pelo atendimento na rede básica de saúde o mais rápido possível em caso de constatação de febre alta de início súbito. 
 
Ano-Dengue termina
com mais de 300 casos 
 
Desde o último boletim divulgado em 19 de maio, a Secretaria da Saúde de Sorocaba registrou 19 casos de dengue. Com isso, o município encerrou o Ano-Dengue 2015-2016 – julho de 2015 a junho de 2016 – com 368 casos da doença, dos quais 275 são autóctones e 93 alóctones, fora o registro de um único óbito associado a esse mal. 
 
Conforme a pasta, que divulgou nesta segunda-feira (11) o 14º Boletim Epidemiológico, o vírus circulante foi o sorotipo DEN1, de acordo com os resultados dos exames encaminhados ao Adolfo Lutz; apenas uma amostra apresentou sorotipo DEN4. O paciente era morador de rua, não tendo endereço fixo nem possibilidades de investigação. 
 
O município encerra o Ano-Dengue com 17 casos confirmados de chicungunha, dos quais oito tiveram confirmação por exame laboratorial, todos importados, e nove pelo critério clínico-epidemiológico, ou seja, são pacientes com quadro compatível de contágio por chicungunha e que estiveram em cidades com transmissão da doença.
 
Quanto à infecção pelo zika, são 13 casos - três confirmados por meio de exame laboratorial, dois importados e um autóctone, fora 10 pelo critério clínico-epidemiológico. No que se refere à microcefalia em crianças, a Divisão continua com seis notificações, das quais cinco acabaram descartadas e um caso suspeito permanece em investigação.
 
O diretor de área de Vigilância em Saúde, Rafael Reinoso, destaca que o município continua focado nas ações de combate ao Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chicungunha. Destaca, ainda, que os profissionais de saúde continuam atentos aos sinais e sintomas das doenças. 
 
A Divisão de Zoonoses faz até sexta-feira (15) ações de combate ao mosquito transmissor em cinco bairros da cidade. As visitas de casa a casa para controle domiciliar de criadouros de larvas do Aedes vão ocorrer no Parque das Laranjeiras, Aparecidinha, Iguatemi, Recreio dos Sorocabanos e Éden. Já a região da Vila Hortência receberá uma equipe da Secretaria Estadual da Saúde.
 
De acordo com o biólogo da Divisão de Zoonoses, João Ricardo Pereira Ennser, esse reforço trabalha em bairros diferentes daqueles atendidos pelos agentes de Zoonoses, justamente para complementar o serviço já executado.
 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar