Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< POLÍTICA Defesa não poderá responder por Dilma caso ela falte a interrogatório no Senado

Publicada em 05/07/2016 às 14:44
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A defesa da presidente afastada Dilma Rousseff não poderá responder a questões dos senadores caso a petista não compareça ao seu interrogatório na Comissão Especial do Impeachment. De acordo com o presidente do colegiado, Raimundo Lira (PMDB-PB), o ex-advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, poderá representar a presidente e ler um comunicado, mas não poderá responder aos questionamentos. 
 
O interrogatório está agendado para essa quarta-feira, 6, e a tendência é que a presidente afastada não compareça. Fontes próximas à petista informaram ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, que ela não irá, mas a defesa ainda não comunicou a ausência oficialmente. Segundo Cardozo, a questão ainda está sob análise.
 
Nesta segunda-feira, 4, o líder da minoria, Lindbergh Farias (PT-RJ), defendeu que a presidente não venha presencialmente ao colegiado. Segundo o petista, que é parte da tropa de choque de Dilma, o processo "tem cartas marcadas" e ela não deveria participar da sessão, legitimando o "golpe". 
 
 
Comissão Especial do Impeachment ouve
peritos do processo contra Dilma
 
 
A Comissão Especial do Impeachment ouve nessa terça-feira, 5, os técnicos do Senado que elaboraram a perícia do processo contra a presidente afastada Dilma Rousseff. O grupo é composto pelos consultores de orçamento Diego Prandino Alves e João Henrique Pederiva, além do diretor-adjunto da Secretaria de Finanças, Orçamento e Contabilidade, Fernando Álvaro Leão Rincon.
 
Os peritos entregaram na semana passada o laudo técnico que apontava que a presidente afastada é a responsável pela edição de créditos suplementares, mas isentando Dilma das pedaladas fiscais. Tanto a defesa quanto a acusação indicaram assistentes técnicos para a acompanhar a análise e elaborar seus próprios laudos, que foram entregues nesta Segunda-feira (4).
 
Pela primeira vez, o relator do processo, Antonio Anastasia (PSDB-MG), abriu mão de fazer perguntas aos convidados e os questionamentos seguiram para os senadores. Após a oitiva dos peritos, serão ouvidos também os assistentes técnicos da defesa e da acusação. (Conteúdo Estadão)
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar