Terça-Feira, 2 de Junho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< SAÚDE Em quatro meses, Cidade atinge meta de cobertura para 6 vacinas

Publicada em 22/06/2016 às 06:13
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Secom)
Já nos primeiros quatro meses de 2016, Sorocaba atingiu a meta anual de cobertura para seis diferentes tipos de vacinas, destinadas a crianças de até 12 meses de idade. São elas a Meningocócica C Pentavalente, Pneumocócica 10 Valente, Poliomielite, Rotavírus e SCR D1. No período, segundo o Programa Nacional de Imunizações (PNI), apenas a imunização contra BCG e Influenza ainda não tinha alcançado os índices anuais estabelecidos pelo Ministério da Saúde (MS).
 
No primeiro quadrimestre, a cobertura da vacina Meningocócica C, que previne a doença meningocócica invasiva, chegou a 97,2%, e a meta anual do MS é de 95%. A Pentavalente, que imuniza contra difteria, tétano, coqueluche, meningite e hepatite B, alcançou 97,1%; a meta anual também é de 95%. 
 
A Pneumocócica 10 Valente, preventiva da pneumonia, meningite, infecções no ouvido, sinusite e infecção sanguínea, atingiu 96,5% de janeiro a abril; o MS estabelece índice anual de 95%. A vacina contra a Poliomielite teve a cobertura acumulada de 95,3%, ante a meta de 95% em doze meses. 
 
A imunização contra o Rotavírus, responsável pela gastroenterite em crianças, teve o índice de 93,5% em quatro meses; o MS aponta a meta anual como 90%. Já a SCR D1, que previne sarampo, rubéola e caxumba, chegou a 104,8% na cobertura acumulada; anualmente busca-se ao menos 95%. 
 
A supervisora de área da Divisão de Vigilância Epidemiológica (DVE), da Secretaria da Saúde de Sorocaba (SES), Daniela Malaquias, mostrou-se bastante satisfeita com os números do PNI. Citou que isso se deve aos esforços e ao trabalho de divulgação feitos pelas equipes das Unidades Básicas de Saúde (UBSs). “Estamos extremamente satisfeitos por batermos essas metas”, acrescentou. 
 
Daniela também comentou sobre as únicas duas metas não atingidas até abril, conforme dados do PNI. No caso da imunização do vírus Influenza, destacou que a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe teve início apenas em 30 de abril, o que justifica a cobertura acumulada de 71,9% no primeiro quadrimestre de 2016 para crianças de até 12 meses – a meta do MS é de 80%. Atualmente, porém, a supervisora de área da DVE/SES informa que a cobertura está atingida, tendo em vista que o grupo de risco integrado por essas crianças chegou ao percentual de 106,10% de imunização na campanha de vacinação. 
 
Enquanto isso, no que se refere à vacina BCG, Daniela afirma que é compreensível o índice anual de 90% não ter sido ainda alcançado e que até abril estava em 82,6%. “A BCG, na maioria das vezes, é aplicada logo após o nascimento do bebê, ainda na maternidade. São raros os casos em que a aplicação é feita nas UBSs”, explica. Acrescenta que o número ainda não foi atualizado, portanto há possibilidade de a meta também ter sido alcançada. 
 
Todas as vacinas apontadas no levantamento do PNI são distribuídas gratuitamente no horário de funcionamento das 31 UBSs municipais, via Sistema Único de Saúde (SUS). Algumas são aplicadas de maneira injetável e outras com gotinhas. A diferença se dá devido ao mecanismo de absorção e ação da vacina. 
 
A orientação para quem está em atraso vacinal é procurar a unidade de saúde próxima de sua residência, para avaliação e atualização do esquema vacinal em caso de indicação. Se houve perda ou extravio do cartão de vacinação, a unidade de saúde de referência do paciente deve providenciar um novo.
 
 
Vacinação será retomada em
Votorantim nesta quarta-feira
 
Interrompida desde o início do mês por conta de uma queda de energia que afetou toda região, a vacinação nos centros de saúde de Votorantim será retomada normalmente a partir desta quarta-feira (22). Os lotes que estavam sendo avaliados foram liberados pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde.
 
A queda de energia, registrada nos dias 6 e 7, causou alteração na temperatura das vacinas. Por isso, o órgão ligado à Secretaria de Saúde do Estado orientou que a imunização fosse suspensa até que as doses fossem analisadas e, posteriormente, liberadas, o que se deu na tarde desta terça-feira (21).

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar