Sábado, 6 de Junho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< SAÚDE Com estoque baixo, Banco de Leite precisa de doações

Publicada em 21/06/2016 às 06:14
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Fernando Rezende)
Com estoque bem abaixo do ideal, o Banco de Leite Humano, que funciona dentro do Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS), precisa de doações. Atualmente com apenas cerca de 40 litros estocados, a diretora do serviço de Obstetrícia e Neonatologia do CHS, dra. Patrícia Lisboa Magnoter,  afirma que o Banco de Leite precisaria de 123 litros por mês para que a demanda da maternidade e dos postos de distribuição fossem atendidas. Também ressalta a médica que desses 40 litros apenas 25 estão pausterizados e indicados para o consumo.  “Para a gente poder liberar, temos que pausterizar e fazer exames”, conta. 
 
Também causador do baixo estoque do produto, a qualidade do leite igualmente tem feito os funcionários do Banco de Leite Humano de Sorocaba descartar muitos frascos. “O principal motivo ainda é a sujidade do leite. Qualquer cisquinho ou pelinha que cai no leite, a gente perde o conteúdo todo”, explica a supervisora de equipe técnica de Saúde do Banco, Marlene Costa Martins.
 
Com pouco leite em estoque, as funcionárias do CHS precisam fracionar a quantidade do produto para atender os bebês que nascem ou são tratados no local. “Como estamos com a quantidade (de leite em estoque) baixo, então a gente acaba selecionando ou em menor volume para fracionar para todos receberem um pouco ou direcionando para os que mais necessitam”, conta ainda a dra. Patrícia, citando os prematuros extremos como um grupo prioritário. “Eles recebem uma quantidade mínima, de 2 a 5 ml por mamada, sendo que mamam oito vezes por dia. Então, esses bebês sempre vão receber o leite materno. Aqueles que são um pouquinho maior, a gente vai intercalando o leite materno com outro”, completa Marlene.
 
A médica Patrícia Lisboa lembra que o leite humano é essencial para a saúde do bebê, principalmente os recém- nascidos. “Ele nutre e traz anticorpos para o bebê”, conta. Segundo o Ministério da Saúde, com o leite materno, o bebê fica protegido de infecções, diarreias e alergias. Cresce com mais saúde e ganha peso mais rápido, além de ficar menos tempo internado.
 
Marlene também destaca que, se antes a doação de leite caía mais durante o inverno, nos últimos anos ela se tornou constante ao longo de todo o ano. Patrícia também destaca que a reforma da maternidade do CHS também aumentou a demanda pelo leite humano: “De 10 leitos de UTI, a gente aumentou para 18; de 14 de cuidados intermediários, aumentou para 20, então isso já um grande diferença para gente”, conta.
 
A diretora do Serviço de Obstetrícia e Neonatologia do CHS também lamenta que o interesse pela doação entre as mães sorocabanas também tenha caído nos últimos anos. “Hoje em dia, as pessoas estão mais preocupadas em estética, amamentar e a própria vida da mulher, que tem o dever de voltar ao trabalho logo. Às vezes, ela não consegue nem suprir a criança dela porque falta e produz menos leite”, conta.
 
CICLO DO LEITE – Com dois postos para colhimento – um no Hospital Modelo (antigo Santa Edwiges) e outro na Santa Casa de Misericórdia –, o leite é enviado para o Banco de Leite Humano do CHS, que faz todos os processos de pasteurização e exames para medir a qualidade do produto, que após esses testes é reenviado para esses locais. “30% é nosso e o restante volta para eles”, explica Patrícia.
 
DOAÇÕES – As mulheres interessadas em fazer a doação de leite materno para o Banco de Leite de Sorocaba devem entrar em contato através do telefone (15)3332.9100, ramais 9308 ou 9516. Com o contato feito, uma equipe do Banco se direciona até a residência da doadora para fazer a retirada do produto. 
 
A dra. Patrícia ressalta que o recolhimento pode ser feito tanto em Sorocaba, quanto no vizinho município de Votorantim. “Quem morar em outra Cidade, a gente recebe as doações também, mas a pessoa tem que se deslocar até o nosso Banco de Leite, no Conjunto Hospitalar – junto ao Hospital Regional, na rua Cláudio Manoel da Costa, no bairro do Vergueiro”, lembra.
 
A médica também faz um apelo à população para a doação de frascos para armazenamento do leite. Segundo ela, o pote deve ser de vidro e com tampa de plástico rosqueável, modelos parecidos com os usados em marcas de produtos como de café solúvel e creme de avelã.  “Quem tiver doação deste vidro, é só ligar também que a gente vai à residência recolher o frasco”, solicita.
 
 
Como doar leite materno
 
Em campanhas permanentes para incentivar a doação, o Ministério da Saúde elaborou, inclusive, uma cartilha com as principais recomendações para doadoras de leite materno. As dicas também servem para doadoras de Sorocaba:
 
* Procure tirar o leite em um lugar limpo e tranquilo da casa.
* Use potes de vidro com tampa plástica.
* Ferva os potes por 15 minutos e deixe que sequem sobre um pano limpo.
* Use uma touca ou um lenço na cabeça.
* Coloque uma máscara ou amarre uma fralda sobre o nariz e a boca. 
* Lave as mãos e os braços até o cotovelo com bastante água e sabão.
* Lave as mamas apenas com água 
* Seque as mamas e as mãos com um pano limpo.
* Massageie os seios com a ponta dos dedos, com movimentos circulares, e inicie a coleta diretamente no pote.
* Encha o pote até faltarem dois dedos para completá-lo 
* Identifique o pote com seu nome e a data em que retirou o leite pela primeira vez. Para completar um pote que já está no congelador, faça a coleta em um copo de vidro e depois despeje no pote.
* O leite pode ficar até 10 dias no congelador ou no freezer.

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar