Terça-Feira, 1 de Dezembro de 2020

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< ECONOMIA Deputado pede desconto em conta por apagão na Cidade

Publicada em 10/06/2016 às 07:13
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
Por conta do apagão que atingiu Sorocaba, afetando moradores entre segunda (6) e terça-feiras (7), o líder do PSB na Assembleia Legislativa, deputado Carlos Cezar, protocolou ontem um ofício à CPFL Piratininga, cobrando desconto na tarifa dos consumidores do município e região. 
 
Segundo o parlamentar, mesmo com a justificativa da concessionária de que a situação foi atípica, já que as duas opções de linha de transmissão apresentaram falhas por fortes temporais ocorridos na região das torres que foram derrubadas, a CPFL tem por obrigação ressarcir o consumidor. 
 
“Desde 2010, a Agência Nacional de Energia Elétrica determina que, após ultrapassar o limite de horas para a interrupção do serviço, que varia para cada município, a concessionária é obrigada a compensar o cliente”, disse, afirmando que o desconto deve ser proporcional ao tempo em que ficou sem energia após o limite previsto pela Agência. 
 
Por nota, a CPFL esclarece que o fato gerador da falta de energia sofrida pelos clientes de Sorocaba e região foi a queda de 15 torres do sistema de transmissão de terceiro, no caso, da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista.
 
Explica, ainda, que seu sistema elétrico foi afetado pela queda dessas torres e a distribuidora fez manobras operacionais na região para ampliar a capacidade de atendimento a seus clientes, minimizando os efeitos do desabastecimento. 
 
A distribuidora afirma que a Aneel já estabelece as formas para ressarcimento em caso de falta de energia. O DIC, FIC, DMIC e DCRI são indicadores de continuidade do fornecimento de energia, ou seja, são indicadores de qualidade que, quando infringidos, resultam em indenizações que são pagas aos clientes. 
 
Fora isso, a CPFL explica que compete à União legislar sobre a energia elétrica. “A Aneel já emitiu parecer reafirmando o entendimento do Poder Concedente, que compete privativamente à União legislar sobre a energia elétrica, de acordo com o artigo 22”, diz trecho da nota. 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar