Quinta-Feira, 2 de Julho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Corte no Orçamento frustra planos do MME na capitalização da Eletrobras

Publicada em 05/04/2016 às 06:33
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O sucessivos cortes no Orçamento Federal anunciados em fevereiro e na semana passada pelo governo frustraram os planos do Ministério de Minas e Energia (MME) em capitalizar a Eletrobras em 2016 em R$ 5,95 bilhões. Com os dois contingenciamentos determinados pela equipe econômica, o aporte previsto para a estatal agora é de apenas R$ 1 bilhão. 
 
No começo do ano, o ministro do MME, Eduardo Braga, anunciara que capitalizaria a Eletrobras com os recursos da segunda parcela do pagamento de R$ 17 bilhões em outorgas referentes ao leilão de 29 usinas hidrelétricas, realizado pelo governo em novembro do ano passado. A primeira parte do pagamento, de R$ 11,05 bilhões, foi incorporada ao caixa do Tesouro em janeiro, sobrando, então, R$ 5,95 bilhões, que iriam para a estatal ao fim do 1º semestre. 
 
 
Governo sacrifica ajuste 
para conter crise política
 
O compromisso continua o mesmo: fazer o ajuste fiscal. Mas, na prática, a equipe econômica sacrificou o ajuste no curto prazo e adotou medidas que retardam a recuperação fiscal e a reversão do rombo das contas públicas, que deve chegar perto de R$ 100 bilhões em 2016. 
 
Além das medidas de crédito e redução de taxas de juros em operações do BNDES e de fundos constitucionais, o governo pediu um abatimento da meta em até R$ 120 bilhões para acomodar mais despesas, inclusive na área de defesa, e recursos não previstos para os Estados de R$ 1,95 bilhão como compensação pela Lei Kandir, que desonerou as exportações. Também estão sendo atendidos pleitos de renegociação agrícola, como ocorreu em 2014. Há pressão, ainda, para a liberação dos depósitos compulsórios pelo Banco Central.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar