Segunda-Feira, 11 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Sindicato adianta que greve dos servidores municipais continua

Publicada em 17/03/2016 às 06:44
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Mesmo que a Prefeitura recorra à Justiça contra a greve dos servidores municipais, a proposta continua em pé, e a paralisação será no dia 23 deste mês. De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba, Salatiel Hergesel, não há motivo para que o Município leve a legalidade da paralisação ao Tribunal Regional do Trabalho. 
 
“Não há razão nenhuma de ir para a Justiça; primeiro, porque a greve não começou ainda; segundo, é que todos os passos que o Sindicato está tomando, estão dentro da lei federal, em que permite que a greve aconteça; e terceiro, a própria Prefeitura disse que não encerrou a negociação ainda. Então, não vejo motivo, vamos manter o nosso cronograma”, disse.
 
Hergesel ainda afirmou que hoje será feito um ato no Paço, às 10 horas, para protocolar o ofício. “Não é um ofício comum, estamos contando com um texto jurídico junto aos nossos advogados.” A greve será por tempo indeterminado, até que se faça uma assembleia para definir o futuro dos funcionários quando, então, os servidores resolverão se a paralisação ainda será necessária.
 
O presidente afirmou que os servidores estão recebendo ajuda do vereador Francisco Martinez (PSDB), que se comprometeu com o Sindicato para intermediar uma conversa com o prefeito Antônio Carlos Pannunzio, em favor do servidor. 
 
“Eu, como presidente da Câmara, não posso apoiar a greve, o que posso fazer é ajudar a chegar a um denominador comum. Estou tentando fazer com que haja acordo comum entre os servidores e o governo”, ressaltou Martinez. Ele ainda disse que pretende marcar uma reunião entre o Sindicato e prefeito antes que a greve seja iniciada.
 
Tudo começou quando o Sindicato pediu reajuste de 19,1%, chegando a oferecer 11%, porém o total apresentado foi de 3,5%, já que, segundo o secretário do Governo, João Leandro da Costa Filho, o Município não tem como arcar com o reajuste dos funcionários. “Por prudência, diante deste cenário pelo qual passa a economia, a Prefeitura está sendo muito cautelosa e a única proposta é de 3,5%, que gerará aos cofres públicos uma saída de R$ 30 milhões”, disse.
 
REUNIÃO DA SMS – A Sociedade Médica de Sorocaba (SMS) faz hoje, em sua sede, a partir das 19h30, uma reunião com os médicos associados para definir a posição da classe em relação à greve dos servidores municipais. De acordo com o presidente da SMS, Jefferson Delfino, o objetivo é chegar a um acordo entre os presentes, e definir as medidas que serão tomadas.
 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar