Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Retirar caixas eletrônicos é tendência em supermercados Associação Paulista de Supermercados não dá orientação específica, mas comércios do próprio presidente já não têm mais os aparelhos

Publicada em 05/03/2016 às 09:13
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Arquivo DS Fernando Rezende)
Supermercados são frequentemente citados em matérias policiais por conta de assaltos nos caixas, com ladrões querendo levar o dinheiro ou tendo produtos e materiais diversos furtados das prateleiras; e muitos, nos últimos tempos, por ataques a caixas eletrônicos, instalados nas dependências do estabelecimento. Apesar de a Associação Paulista de Supermercados - Apas não ter um número aproximado de comércios que se enquadrem na categoria em Sorocaba, a entidade está atenta na questão de segurança.
 
Muitos supermercados ainda possuem caixas eletrônicos em suas instalações, mas Pedro Celso Gonçalves, presidente da Apas, não os tem em seus estabelecimentos. "Ladrões armados, com bombas, é muito perigoso manter caixas nos supermercados. Eu retirei todos. Não é uma orientação específica da Apas, mas é assim que eu faço. Há um controle maior de segurança sem a presença delas", comenta o presidente. Ele afirma que muitos estabelecimentos adotaram a prática e vê uma tendência nisso tudo.
 
No dia 10 de abril de 2015, um mercado na Vila Helena foi atacado e três aparelhos destruídos. No dia 22 do mesmo mês, outro foi assaltado na Avenida Ipanema. No dia 8 de junho, Dois caixas automáticos que ficavam no estacionamento de um supermercado na zona norte de Sorocaba, foram explodidos por bandidos no dia 8 de junho; e um estabelecimento do Bairro Árvore Grande foi o alvo no dia 7 de agosto.
 
"Administramos melhor quando não há um volume exagerado de dinheiro nos caixas eletrônicos, o que chama a atenção dos bandidos. Há uma constante evolução nos quadros de equipamentos de segurança de vigilância, como sistema de captação de imagens e reforços de pessoas atuando como fiscais e segurança. Sempre recomendamos essa prática para nossos associados. Hoje essa questão mudou muito. Não esperamos o ladrão pegar algum produto, esconder e sair. Temos como prever isso em imagens e pessoal para abordá-lo antes de qualquer atitude suspeita e fazê-lo desistir da ideia", explica o presidente da Apas. "Nossa malha jurídica e de comunicação conversam e passam todas essas situações para os supermercados. Essas boas práticas ajudam a melhorar a segurança nos estabelecimentos", afirma.
 
Quanto à questão de furtos de produtos das prateleiras, Gonçalves explica que esses números estão em 1,8% do total, o que também agrega os produtos danificados em recebimentos, erros de entrega e "quebras", que é quando o cliente danifica por ou sem querer o produto.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar