Sábado, 25 de Maio de 2019 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< Zoo tem 22 filhotes de cascavel em seu serpentário

Publicada em 29/01/2016 às 01:15
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Secom/PMS)

Os visitantes do Parque-Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros” que forem ao seu serpentário poderão observar 22 filhotes de cascavel (Crotalus durissus) nascidos ali no dia 13 de dezembro de 2015. Com aproximadamente 45 dias de vida, eles têm cerca de 20 centímetros e já é possível ver a ponta da cauda com o seu primeiro chocalho (ou guizo) – uma das características mais marcantes da espécie.

O Zoo de Sorocaba, aliás, se destaca há vários anos no cenário nacional e internacional pelo sucesso na reprodução de diversas espécies. Como os nascimentos de répteis no Parque acontecem no verão, outros nascimentos estão previstos para esta temporada ainda.

Os filhotes estão gozando de ótima saúde e já fizeram sua primeira refeição: neonatos de camundongos. “Além de estar se alimentando, já fizeram a primeira troca de pele e estão com um padrão de atividade normal da espécie”, explica o biólogo Marcos Tokuda, responsável pelo Setor de Répteis do Zoo.

Futuramente, alguns desses filhotes poderão ser incorporados ao plantel de apresentação do Zoo de forma definitiva ou formarão novos casais em outras instituições (como zoológicos, criadouros ou institutos de pesquisa), além de serem pesquisados pelos biólogos do “Quinzinho de Barros”.

O SERPENTÁRIO DO ZOO - O serpentário do Parque-Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros”, em Vila Hortência, possui, atualmente, cerca de 100 espécies, entre serpentes, lagartos, anfíbios e quelônios, como a famosa jararaca-ilhoa, falsa-coral, o urutu-cruzeiro e o sapinho-garimpeiro, entre outros.

A cascavel, em particular, é uma cobra peçonhenta que pode ser encontrada na Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. Alimenta-se principalmente de pequenos roedores, pode chegar a 1,5 metro de comprimento e vive até 20 anos.  Essa espécie troca de pele de três a quatro vezes por ano e, a cada troca, parte dessa pele fica retida, o que vai ao longo dos anos formando o chocalho. 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar